Porto Alegre, domingo, 02 de agosto de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 02 de agosto de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Sistema Financeiro

- Publicada em 05h28min, 03/01/2019.

Novos presidentes do Banco do Brasil e da Caixa são nomeados

Em mais uma edição extra do Diário Oficial da União, publicada ontem, o presidente Jair Bolsonaro nomeou Rubem de Freitas Novaes para exercer o cargo de presidente do Banco do Brasil (BB), em substituição a Marcelo Labuto, que ocupava o cargo. A exoneração de Labuto também está publicada no Diário Oficial. Mais cedo, Rubem Novaes havia confirmado que a transmissão de cargo na instituição ocorrerá na próxima segunda-feira (7), na sede do BB em Brasília.
Em mais uma edição extra do Diário Oficial da União, publicada ontem, o presidente Jair Bolsonaro nomeou Rubem de Freitas Novaes para exercer o cargo de presidente do Banco do Brasil (BB), em substituição a Marcelo Labuto, que ocupava o cargo. A exoneração de Labuto também está publicada no Diário Oficial. Mais cedo, Rubem Novaes havia confirmado que a transmissão de cargo na instituição ocorrerá na próxima segunda-feira (7), na sede do BB em Brasília.
Em outro decreto, Pedro Duarte Guimarães foi nomeado para exercer o cargo de presidente da Caixa Econômica Federal. A cerimônia de posse também acontecerá na próxima segunda-feira. Guimarães disse que o banco passará a ter como foco os pequenos tomadores de empréstimos e ampliará a sua vocação para atuar no crédito imobiliário. Alinhado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, ele disse que o banco público não pode continuar a ter uma parte importante de sua carteira destinada para as grandes empresas.
"Concordo 100% com Guedes quando ele fala em desestatizar o crédito. Até que ponto a Caixa pode ter mais de R$ 100 bilhões emprestados para grandes companhias que têm acesso ao crédito privado, inclusive internacional? Nosso foco será nos pequenos", enfatizou.
Guimarães lembrou que a Caixa tem mais de 94 milhões de CPFs - considerando quem recebe benefícios pagos no banco estatal -, mas apontou que 78 milhões desses potenciais clientes não adquirem produtos da instituição. "Vamos aproveitar as vantagens competitivas da Caixa", acrescentou.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO