Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de dezembro de 2018.
Dia do Petroquímico. Dia do Salva-Vidas.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Edição impressa de 28/12/2018. Alterada em 28/12 às 01h00min

Taxa de custódia do Tesouro Direto cai para 0,25%

A redução do custo ao investidor foi negociada com a bolsa de valores B3

A redução do custo ao investidor foi negociada com a bolsa de valores B3


Patrícia Comunello/Especial/JC
A taxa de custódia dos títulos do Tesouro Direto cairá de 0,3% para 0,25% ao ano a partir de janeiro de 2019, informou o Tesouro Nacional nesta quinta-feira (27). A redução do custo ao investidor foi negociada com a bolsa de valores B3, responsável por operar as transações do programa. A taxa de custódia é cobrada pela B3 para armazenar os títulos.
Como o saldo total investido no programa está em R$ 53 bilhões, o Tesouro estima que a redução de 0,05% na taxa provocará um aumento total de R$ 26 milhões no ganho anual dos investidores do programa.
De acordo com o secretário adjunto do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira, a redução pode incentivar pequenos investidores. Em novembro, já houve recorde de participação das aplicações em valores inferiores a R$ 1.000,00 no Tesouro Direto. Esses investidores representaram 64% do total.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia