Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

conjuntura

26/12/2018 - 09h19min. Alterada em 26/12 às 09h19min

Confiança do comércio sobe 5,7 pontos em dezembro ante novembro, aponta FGV

Índice atingiu os 105,1 pontos, maior patamar desde abril de 2013

Índice atingiu os 105,1 pontos, maior patamar desde abril de 2013


CLAITON DORNELLES /JC
O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 5,7 pontos na passagem de novembro para dezembro, atingindo 105,1 pontos, no maior patamar desde abril de 2013, quando estava em 105,6 pontos, informou nesta quarta-feira (26), a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o indicador avançou 5,5 pontos, na terceira alta consecutiva.
O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 5,7 pontos na passagem de novembro para dezembro, atingindo 105,1 pontos, no maior patamar desde abril de 2013, quando estava em 105,6 pontos, informou nesta quarta-feira (26), a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o indicador avançou 5,5 pontos, na terceira alta consecutiva.
"A confiança do comércio encerra 2019 com alta expressiva no quarto trimestre. É a primeira vez desde março de 2014 que o índice ultrapassa os 100 pontos, limite que identifica a transição para níveis elevados de confiança. Depois de passar por períodos turbulentos ao longo do ano, como a greve dos caminhoneiros e o período eleitoral, os comerciantes esperam aumento de vendas neste final de ano e têm boas expectativas para o começo de 2019. A sustentação dessa recuperação dependerá da continuidade da melhoria do mercado de trabalho e da redução da incerteza", avalia Rodolpho Tobler, Coordenador da Sondagem do Comércio da FGV-Ibre.
A alta da confiança em outubro atingiu 11 dos 13 segmentos e foi influenciada pela melhora tanto da percepção dos empresários com relação à situação atual quanto das expectativas em relação aos próximos meses. O Índice de Situação Atual (ISA-COM) subiu 4,1 pontos, para 97,4 pontos, na terceira alta seguida, registrando o maior valor desde abril de 2014 (99,8 pontos). Já o Índice de Expectativas (IE-COM) registrou o terceiro resultado positivo consecutivo, ao subir 7,0 pontos e atingir 112,5 pontos, o maior valor desde fevereiro de 2011 (115,9 pontos).
Com os resultados de dezembro, o Índice de Confiança do Comércio (ICOM) médio do trimestre voltou a fechar em alta em relação ao trimestre anterior depois de dois trimestres de queda. A alta no trimestre decorre da melhora tanto do Índice de Situação Atual quanto do Índice de Expectativas, algo que não acontecia desde o quarto trimestre de 2017. "Esse resultado reforça o cenário de recuperação das vendas em 2019", informa a FGV.
A coleta de dados para a edição de dezembro da Sondagem do Comércio foi realizada entre os dias 4 e 20 do mês e obteve informações de 1.039 empresas.