Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 26/12/2018. Alterada em 25/12 às 21h48min

Vendas de Natal crescem 6% nos supermercados

Setor de autosserviço já prepara seus estoques para o Ano-Novo

Setor de autosserviço já prepara seus estoques para o Ano-Novo


DANDY MARCHETTI/DIVULGAÇÃO/JC
A ocorrência da véspera de Natal, dia 24, em uma segunda-feira, foi determinante para que os supermercados gaúchos tenham alavancado um crescimento de 6% nas vendas de produtos típicos para a data, neste ano, em comparação com o ano passado. Segundo o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, o calendário favorável com cinco fins de semana em dezembro possibilitou que os consumidores buscassem melhores opções em preços, visitando mais vezes o ponto de venda e fracionando suas compras para a data em diferentes dias do mês.
A ocorrência da véspera de Natal, dia 24, em uma segunda-feira, foi determinante para que os supermercados gaúchos tenham alavancado um crescimento de 6% nas vendas de produtos típicos para a data, neste ano, em comparação com o ano passado. Segundo o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, o calendário favorável com cinco fins de semana em dezembro possibilitou que os consumidores buscassem melhores opções em preços, visitando mais vezes o ponto de venda e fracionando suas compras para a data em diferentes dias do mês.
"Além disso, com a véspera do Natal em uma segunda-feira, os consumidores tiveram três dias para adquirir os itens que faltavam para a ceia, evitando concentração e filas no último dia", detalha Longo. As compras de última hora representaram somente 25% do total vendido, um número baixo em relação a Natais anteriores. "Houve uma programação maior e mais pesquisa de preços, já que os supermercados registraram 5% mais visitas de clientes em suas lojas do que no ano passado", observa Longo.
O crescimento de 6% supera as expectativas do setor, que projetava um incremento entre 3% e 4% nas vendas. A criatividade das empresas do segmento supermercadista e as promoções proporcionadas na última quinzena pela indústria também alavancaram o crescimento das vendas, resultando em uma redução média de 4% no preço dos produtos típicos de Natal em relação à festividade de 2017.
O item com maior destaque em crescimento de vendas, neste Natal, foi a categoria de cervejas. "Puxadas pelas embalagens para presente e pelos produtos especiais/artesanais, as cervejas registraram um crescimento de 15% nas vendas", pontua Longo. Outra bebida em destaque foi o espumante, com crescimento de 6% na comparação com o ano passado. "Os supermercados já estão reforçando os estoques para a semana do Réveillon, quando os espumantes são o item mais procurado pelos clientes", destaca o presidente da Agas.
Com relação aos presentes, os pequenos carrinhos e bonecas de baixo custo foram os carros-chefes, além das caixas de bombons, que registraram crescimento de 5% nas vendas. Para a semana do Ano-Novo, além dos espumantes, os supermercados apostam na comercialização de itens típicos, como lentilha, carne suína, sobremesas e outras bebidas.