Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Combustíveis

19/12/2018 - 17h26min. Alterada em 19/12 às 17h26min

Petrobras reduz preço do gás liquefeito de petróleo empresarial pela terceira vez

Agência Brasil
A Petrobras decidiu reduzir em 4,7%, na média, o preço do GLP (gás liquefeito de petróleo) empresarial em embalagens acima de 13 quilos. O novo valor entra em vigor nesta quinta-feira (20). É a terceira queda consecutiva de preço anunciada pela estatal - a última alteração tinha sido no dia 27 de novembro, com recuo médio de 9,2%. Antes disso, no dia 7 de novembro, a empresa reduziu o preço em 5,6%.
A Petrobras decidiu reduzir em 4,7%, na média, o preço do GLP (gás liquefeito de petróleo) empresarial em embalagens acima de 13 quilos. O novo valor entra em vigor nesta quinta-feira (20). É a terceira queda consecutiva de preço anunciada pela estatal - a última alteração tinha sido no dia 27 de novembro, com recuo médio de 9,2%. Antes disso, no dia 7 de novembro, a empresa reduziu o preço em 5,6%.
Segundo a Petrobras, a política de preços para o GLP de uso industrial e comercial vendido em suas refinarias às distribuidoras segue o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais desses produtos, mais os custos que importadores teriam, entre outros, de transporte e de taxas portuárias. O preço médio considera ainda uma margem que cobre riscos como volatilidade do câmbio e dos preços.
Para a estatal, a paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos.
O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou que o preço do GLP empresarial deverá ter redução entre 4,6% e 4,9%, dependendo do polo de suprimento. Pelos cálculos do Sindigás, o valor do GLP empresarial destinado aos setores do comércio e da indústria continua 18% mais alto do que o gás comercializado em embalagens de até 13 quilos. "A entidade reforça que a falta de uma política de preços para o GLP empresarial faz persistir essa diferença de preços entre o GLP residencial e o empresarial", destaca, em nota, o sindicato.