Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

19/12/2018 - 08h04min. Alterada em 19/12 às 08h04min

À espera do Fed, bolsas asiáticas fecham sem direção única

Estadão Conteúdo
As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta quarta-feira (19), à espera do evento mais relevante da semana - a decisão de política monetária do Federal Reserve, ou Fed, como é conhecido o banco central dos Estados Unidos.
A expectativa é que o Fed eleve seus juros básicos pela quarta vez este ano, após concluir reunião de dois dias no fim da tarde de hoje. Investidores, porém, estão mais ansiosos para saber quantos aumentos de juros o BC americano projetará para 2019. Muitos acreditam que o Fed poderá sinalizar uma pausa no aperto de sua política monetária, diante de indícios de desaceleração da economia global e temores de que os EUA voltem a enfrentar uma recessão.
Na China, o dia foi de perdas. O Xangai Composto recuou 1,05%, a 2.549,56 pontos, em parte pressionado por ações de petrolíferas, que caíram na esteira de um novo tombo nas cotações do petróleo ontem. Já o Shenzhen Composto, formado por empresas menores, teve baixa de 1,38%, a 1.294,49 pontos.
Há sinais, no entanto, de que EUA e China continuam tentando superar suas divergências comerciais. Segundo comunicado do Ministério de Comércio chinês, autoridades com nível de vice-ministro de ambos os país dialogaram sobre o comércio bilateral por telefone nesta quarta-feira.
No Japão, o índice Nikkei caiu 0,60%, a 20.987,92 pontos, atingindo o menor nível em nove meses, influenciado pela continuidade da valorização do iene ante o dólar durante a madrugada. Contribuiu para o mau humor em Tóquio a estreia malsucedida da unidade móvel do grupo SoftBank, a SoftBank Corp., após a maior oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da história do país. A ação despencou 14,5%.
Assim como o Fed, o Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês) também revê sua política monetária esta semana, com decisão esperada à 1h (de Brasília) desta quinta-feira (20), mas não há previsão de mudanças na atuais condições acomodatícias, uma vez que a inflação doméstica permanece muito abaixo do nível desejado.
Outros mercados menores da Ásia terminaram o pregão no azul hoje. Foi o caso do Hang Seng, que subiu 0,20% em Hong Kong, a 25.865,39 pontos, do sul-coreano Kospi, que avançou 0,81% em Seul, a 2.078,84 pontos, e do Taiex, que registrou alta de 0,66%, a 9.783,21 pontos.
Na Oceania, a bolsa da Austrália também sentiu o impacto do petróleo fraco e o índice S&P/ASX 200 caiu 0,16% em Sydney, a 5.580,60 pontos. Apenas o setor de energia australiano recuou 2,7%, tocando nova mínima em 14 meses.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia