Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Bancos

14/12/2018 - 15h55min. Alterada em 14/12 às 16h00min

Bradesco prepara emissão de LIG que pode chegar a R$ 5 bi em cinco anos

Operação ocorre após a aprovação da lei dos distratos, que é vista como benéfica para o setor imobiliário

Operação ocorre após a aprovação da lei dos distratos, que é vista como benéfica para o setor imobiliário


JONATHAN HECKLER/Arquivo/JC
O Bradesco está preparando a sua estreia no mercado de letras imobiliárias garantidas (LIGs) com uma emissão de R$ 120 milhões nos próximos dias e que pode alcançar os R$ 5 bilhões em cinco anos, de acordo com o presidente do banco, Octavio de Lazari. "A capacidade de crescimento do mercado de crédito imobiliário é exponencial no Brasil", disse ele, em conversa com a imprensa, nesta tarde de sexta-feira, 14.
O Bradesco está preparando a sua estreia no mercado de letras imobiliárias garantidas (LIGs) com uma emissão de R$ 120 milhões nos próximos dias e que pode alcançar os R$ 5 bilhões em cinco anos, de acordo com o presidente do banco, Octavio de Lazari. "A capacidade de crescimento do mercado de crédito imobiliário é exponencial no Brasil", disse ele, em conversa com a imprensa, nesta tarde de sexta-feira, 14.
Segundo Lazari, a aprovação da lei dos distratos deve ser benéfica para o mercado imobiliário, contribuindo para que o setor retome taxas de crescimento do passado. "Trouxe mais estabilidade e segurança para o mercado", acrescentou o vice-presidente do Bradesco, Eurico Fabri.
Ele disse ainda que, diante desse cenário, o banco espera que o crescimento do crédito imobiliário acelere no próximo ano. Além do Bradesco, o Itaú estreou nesta sexta no mercado de LIG com uma emissão de R$ 1,2 bilhão. Antes, o Santander abriu esse segmento no País com algumas operações de LIG.
O Bradesco vendeu R$ 15 bilhões em carteiras de empréstimos vencidos e não pagos, os chamados créditos podres, e espera repetir esse volume em 2019, de acordo com Fabri. "A venda de carteiras se tornou um hábito dentro do banco", disse ele.
Fabri informou que o Bradesco obteve recentemente autorização para adquirir uma participação na RCB Investimentos, gestora especializada na recuperação de créditos vencidos. Reforçou, contudo, que a empresa deve continuar independente e participando das concorrências que o banco faz para se desfazer de operações vencidas.