Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

Edição impressa de 11/12/2018. Alterada em 13/12 às 12h13min

Suprg lança nota sobreocorrência de lama no Cassino

A Superintendência do Porto do Rio Grande (Suprg) lançou, no final da tarde de ontem, nota de esclarecimento sobre a ocorrência de na praia do Cassino. A entidade informou que desde as primeiras horas de ontem vem realizando reuniões e fornecendo dados e materiais aos órgãos de controle interessados no fenômeno de lama na praia no último final de semana. Durante a manhã, representantes do Grupo de Trabalho que assessora a Suprg no licenciamento ambiental esteve no IBAMA em Brasília, e durante a tarde, a Suprg acompanhada pela Universidade Federal do Rio Grande esteve no Ministério Público Federal, em Rio Grande.
A nota diz que a Superintendência em ambos os órgãos apresentou todos os monitoramentos que estão sendo feitos e reforçou os esforços no monitoramento da obra de dragagem do canal de acesso, com fiscalização a bordo, traçadores e pesquisas de qualidade de água, sedimentos, entre outras. "Através dos estudos e programas de monitoramento, principalmente do Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira, e do intenso trabalho no último final de semana ficou comprovado que não há relação direta entre a lama surgida na Praia do Cassino no último final de semana e a deposição de sedimentos da obra de dragagem do canal de acesso."
Na reunião no Ministério Público Federal também estava presente o grupo denominado SOS Cassino. "Os estudos realizados pelos pesquisadores que compõe o Grupo de Trabalho mostram que não há relação entre o sítio de descarte e a ocorrência de lama na praia nos últimos dias. " O esclarecimento diz ainda que a Suprg por medida de precaução, manterá suspensa a utilização do overflow no processo de dragagem.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia