Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

10/12/2018 - 07h57min. Alterada em 10/12 às 07h57min

Bolsas asiáticas caem após tombo em Nova Iorque e balança comercial fraca da China

As bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada nesta segunda-feira (10), após mais um tombo nos mercados de Nova Iorque e na esteira de dados bem mais fracos do que se previa da balança comercial chinesa.
As bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada nesta segunda-feira (10), após mais um tombo nos mercados de Nova Iorque e na esteira de dados bem mais fracos do que se previa da balança comercial chinesa.
Nessa sexta-feira (7), as bolsas americanas tiveram mais uma rodada de fortes perdas, que variaram de 2,2% a 3%, em meio a preocupações com o andamento do diálogo comercial entre Washington e Pequim e temores de que o crescimento da economia mundial - em especial, dos Estados Unidos - desacelere.
No fim de semana, dados oficiais mostraram que a disputa comercial entre EUA e China está prejudicando o comércio do gigante asiático. Em novembro, tanto as exportações quanto as importações chinesas subiram bem menos do que o esperado, com ganhos anuais de 5,4% e 3%, respectivamente.
Também foram divulgados indicadores de inflação da China. A taxa anual de inflação ao consumidor diminuiu de 2,5% em outubro a 2,2% em novembro, enquanto a inflação ao produtor foi de 3,3% a 2,7% na mesma comparação.
Principal índice acionário chinês, o Xangai Composto terminou o pregão de hoje em baixa de 0,82%, a 2.584,58 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto recuou, 1,35%, a 1.332,53 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 1,19%, a 25.752,38 pontos.
Mas foi o Nikkei que liderou as perdas na Ásia, com queda de 2,12% em Tóquio, a 21.219,50 pontos, após a divulgação de números decepcionantes do Produto Interno Bruto (PIB) do Japão. Em Seul, o sul-coreano Kospi caiu 1,06%, a 2.053,79 pontos, e em Taiwan, o Taiex registrou baixa de 1,16%, a 9.647,54 pontos, atingindo o menor nível em seis semanas.
Na Oceania, a bolsa da Austrália fechou no menor patamar em dois anos, pressionada pelas ações dos quatro maiores bancos domésticos. O S&P/ASX 200 caiu 2,27% em Sydney, a 5.552,50 pontos.