Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 07 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 07/12 às 07h50min

Após perdas recentes, bolsas asiáticas sobem com estabilização de Nova Iorque

Estadão Conteúdo
As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira (7), após dois dias de perdas generalizadas em meio a dúvidas sobre a trégua comercial entre Estados Unidos e China, à medida que os mercados acionários de Nova Iorque se estabilizaram com relatos de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) poderá desacelerar o ritmo de aperto de sua política monetária.
Nessa quinta-feira, Dow Jones e S&P tiveram baixas contidas e o Nasdaq subiu moderadamente, recuperando-se de fortes perdas de mais cedo depois que o Wall Street Journal publicou reportagem sugerindo que o Fed poderá elevar juros de forma ainda mais gradual do que se esperava. Segundo o WSJ, o Fed está considerando dar uma sinalização de cautela em sua próxima reunião, nos dias 18 e 19, quando deverá elevar juros pela quarta vez este ano, e os dirigentes da instituição não sabem quando poderá haver um novo aumento das taxas depois deste mês.
Nessa quarta-feira (5), as bolsas americanas não operaram devido ao luto oficial pela morte do ex-presidente George H. W. Bush. No dia anterior, os índices acionários de Wall Street haviam tomado um tombo, registrando perdas de mais de 3% a quase 4%.
O Nikkei teve o melhor desempenho hoje na Ásia, com alta de 0,82% em Tóquio, a 21.678,68 pontos. Na semana, porém, o índice japonês acumulou desvalorização de 3,01%.
Na China, os mercados ficaram praticamente estáveis, depois de recuar nos dois pregões anteriores. O Xangai Composto teve alta marginal de 0,03%, a 2.605,89 pontos, enquanto o menos abrangentes Shenzhen Composto não se alterou em relação a ontem, terminando o dia em 1.350,70 pontos. Após o bom desempenho positivo da segunda e terça-feira, contudo, o Xangai encerrou a semana com ganho de 0,7%.
Nos últimos dias, as bolsas asiáticas ficaram pressionadas diante de incertezas quanto ao andamento das discussões comerciais entre EUA e China, que no último fim de semana concordaram em suspender a adoção de novas tarifas contra produtos um do outro por um período de 90 dias.
A prisão no Canadá da diretora financeira da gigante de equipamentos de telecomunicações chinesa Huawei, a pedido dos EUA, gerou dúvidas sobre o sucesso do diálogo entre Washington e Pequim. A detenção da executiva ocorreu nesse sábado (1º), mesmo dia em que foi anunciada a trégua sino-americana, mas só foi divulgada na última quarta.
Em outras partes da região asiática, o sul-coreano Kospi subiu 0,34% hoje em Seul, a 2.075,76 pontos, e o Taiex avançou 0,79% em Taiwan, a 9.760,88 pontos. Na semana, contudo, Kospi e Taiex caíram 1% e 1,3%, respectivamente. O Hang Seng foi exceção hoje, terminando os negócios em Hong Kong em baixa de 0,35%, a 26.063,76 pontos, após um pregão de volatilidade.
Na Oceania, a bolsa da Austrália seguiu o tom positivo das asiáticas e o S&P/ASX encerrou a sessão em Sydney em alta de 0,42%, a 5.681,50 pontos. Como resultado, o índice australiano garantiu alta de 0,25% na semana. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia