Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Relações Internacionais

Notícia da edição impressa de 06/12/2018. Alterada em 06/12 às 01h00min

Chanceleres do Mercosul reúnem-se hoje em Brasília

Os ministros das Relações Exteriores de Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai se reunirão a partir de hoje em Brasília em busca de um denominador comum que permita concluir ainda este ano o acordo comercial negociado entre o Mercosul e a União Europeia (UE). No encontro, eles vão analisar o resultado da última rodada de negociações entre ambas as partes, realizada entre 12 e 20 de novembro em Bruxelas e que, como as anteriores, terminou sem grandes progressos.
Os ministros das Relações Exteriores de Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai se reunirão a partir de hoje em Brasília em busca de um denominador comum que permita concluir ainda este ano o acordo comercial negociado entre o Mercosul e a União Europeia (UE). No encontro, eles vão analisar o resultado da última rodada de negociações entre ambas as partes, realizada entre 12 e 20 de novembro em Bruxelas e que, como as anteriores, terminou sem grandes progressos.
A reunião também servirá para diminuir dúvidas geradas por afirmações do presidente da França, Emmanuel Macron, que condicionou os avanços entre Mercosul e União Europeia ao comprometimento do presidente eleito, Jair Bolsonaro, ao Acordo de Paris que define uma série de ações para conter o aquecimento global.
Segundo Macron, a França não será favorável à assinatura de "acordos comerciais amplos" com países que se opõem ao Acordo de Paris.
As negociações entre o Mercosul e a UE continuam travadas por diferenças nos setores agropecuário, automotriz e lácteo, e questões de acesso a mercados, entre outros pontos.
Ambos os blocos discutem um acordo comercial desde 2000, quando começaram formalmente negociações técnicas que se arrastaram sem sucesso desde então, apesar da "vontade política" alegada pelas partes durante todo o processo.