Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de dezembro de 2018.
Dia Internacional dos Voluntários.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 05/12 às 19h09min

Ibovespa sobe 0,47% em dia de poucos negócios e feriado em Nova Iorque

Estadão Conteúdo
Com o volume de negócios reduzido praticamente à metade da média, o Índice Bovespa teve um pregão morno nesta quarta-feira (5) e oscilou em intervalos não muito extensos. O índice rondou a estabilidade na maior parte do tempo e terminou o dia em alta de 0,47%, aos 89.039,79 pontos. Os negócios somaram R$ 8,5 bilhões, revelando a ausência de investidores estrangeiros devido ao feriado de luto nos Estados Unidos, por ocasião da morte do ex-presidente George H.W. Bush.
Profissionais do mercado consideraram positivo o movimento do mercado doméstico nesta quarta-feira, uma vez que o noticiário recente não incentivava percepções otimistas. De um lado, as quedas das bolsas americanas na terça-feira continuaram a gerar efeitos nos índices asiáticos e europeus, com temores em relação ao comércio global e ao ritmo da economia americana. De outro, o clima com o cenário político foi de cautela, diante da falta de acordo em torno da cessão onerosa e da sinalização do presidente eleito, Jair Bolsonaro, de que pode fatiar a reforma da Previdência.
Para Luiz Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença corretora, o cenário doméstico não aponta mais para grandes alterações neste mês de dezembro, uma vez que o mercado considera improvável a votação da cessão onerosa nos próximos dias. Com isso, afirma, o Ibovespa somente terá fôlego para se sustentar acima da marca psicológica dos 90 mil pontos na hipótese de uma melhora de humor no mercado internacional, ou se o noticiário corporativo for capaz de conduzir o índice a esse novo patamar.
O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, e o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, acertaram deixar as negociações do projeto de revisão da cessão onerosa para 2019. Pela manhã, a Petrobras divulgou seu plano estratégico e de negócios, que não chegou a interferir nos preços das ações. Ao final do pregão, Petrobras ON e PN tiveram ganhos de 0,60% e 0,87%, depois de terem alternado altas e baixas ao longo de todo o pregão, devido à instabilidade dos preços do petróleo no mercado internacional. Já os papéis do setor financeiro, bloco de maior peso na composição do Ibovespa, tiveram desempenho fraco ao longo do dia, mas ganharam tração nos minutos finais de negociação. O destaque do dia foi Banco do Brasil ON, que subiu 1,01%.
Com as bolsas de Nova York fechadas, um dos poucos destaques do dia foi a divulgação do Livro Bege, relatório do Federal Reserve sobre as condições da economia americana. Segundo o documento, os empresários do setor industrial nos Estados Unidos continuam a ter a questão das tarifas como uma preocupação. Mesmo com esse temor, a maioria dos distritos continua a reportar "crescimento moderado no setor".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia