Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Relações Internacionais

Notícia da edição impressa de 03/12/2018. Alterada em 03/12 às 01h00min

Rússia e Arábia vão estender pacto para estabilizar petróleo, diz Putin

A Rússia e a Arábia Saudita concordaram em estender os esforços da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para estabilizar os mercados da commodity, afirmou o presidente russo, Vladimir Putin. Segundo Putin, a Rússia ainda precisa decidir o quanto cortará de sua oferta.

A Rússia e a Arábia Saudita concordaram em estender os esforços da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para estabilizar os mercados da commodity, afirmou o presidente russo, Vladimir Putin. Segundo Putin, a Rússia ainda precisa decidir o quanto cortará de sua oferta.

A Opep e aliados, como a Rússia, devem se reunir na quinta e na sexta-feira, em Viena, para decidir se são necessários cortes na produção, após os preços da commodity recuarem cerca de um terço desde o início de outubro, por causa do excesso de oferta. "Nós temos um pacto para estender nosso acordo", afirmou Putin no sábado, após se reunir com o príncipe saudita Mohammed Bin Salman na reunião do G-20 na Argentina.

Assessores da Opep recomendaram corte de 1,3 milhão de barris por dia na oferta no próximo ano. A Rússia, que não integra o cartel mas coordena sua produção com ele, quer reduções menores.