Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

conjuntura

28/11/2018 - 08h56min. Alterada em 28/11 às 08h56min

Confiança do comércio sobe 6,9 pontos em novembro ante outubro, revela FGV

Em médias móveis trimestrais, indicador teve expansão de 3,2 pontos

Em médias móveis trimestrais, indicador teve expansão de 3,2 pontos


MARCELO G. RIBEIRO/JC
O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 6,9 pontos na passagem de outubro para novembro, atingindo 99,4 pontos, no maior patamar desde março de 2014, quando estava em 101,9 pontos, informou nesta quarta-feira (28), a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o indicador teve sua segunda elevação consecutiva, com expansão de 3,2 pontos.
O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 6,9 pontos na passagem de outubro para novembro, atingindo 99,4 pontos, no maior patamar desde março de 2014, quando estava em 101,9 pontos, informou nesta quarta-feira (28), a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o indicador teve sua segunda elevação consecutiva, com expansão de 3,2 pontos.
"Os dois últimos resultados positivos da confiança do comércio sugerem que o pior pode ter ficado para trás. A alta expressiva de novembro confirma a recuperação da confiança do setor, um resultado que parece ter sido influenciado principalmente pela melhora das expectativas com o encerramento do período eleitoral. Novos avanços dependerão da continuidade da recuperação do mercado de trabalho e da redução adicional da incerteza", avaliou Rodolpho Tobler, coordenador da Sondagem do Comércio no Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.
Em novembro, houve melhora da confiança em dez dos 13 segmentos pesquisados, num movimento influenciado pela melhora da percepção sobre a situação atual e também pelas expectativas para os próximos meses. O Índice de Situação Atual (ISA-COM) subiu 5,1 pontos, para 93,3 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE-COM) registrou alta de 8,4 pontos, aos 105,5 pontos, no maior nível desde setembro de 2012 (106,0).
A coleta de dados para a edição de outubro da Sondagem do Comércio foi realizada pela FGV entre os dias 1º e 26 do mês e obteve informações de 1.188 empresas.