Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de novembro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 26/11 às 20h22min

Bolsas de Nova Iorque fecham em alta, monitorando Black Friday e Cyber Monday

Estadão Conteúdo
Os mercados acionários americanos mostraram recuperação em relação às perdas vistas em pregões anteriores e encerraram o pregão desta segunda-feira (26), com ganhos expressivos à medida que os agentes aguardam uma série de eventos que podem definir o rumo dos negócios em Nova Iorque no próximo ano.
O índice Dow Jones fechou em alta de 1,46%, cotado a 24.640,24 pontos; o S&P 500 subiu 1,55%, para 2.673,45 pontos; e o Nasdaq chegou ao fim do dia com ganho de 2,06%, aos 7.081,85 pontos.
O pregão começou em tom positivo para os investidores nesta semana. Após a liquidação vista na semana passada, os principais índices acionários americanos iniciaram o dia embalados pelos ganhos vistos tanto na Ásia quanto na Europa, onde os agentes foram às compras em meio a sinais positivos dados pela Itália quanto à sua proposta orçamentária para 2019 e com a aprovação do acordo do Brexit por unanimidade entre os membros da União Europeia.
A Black Friday esteve no radar dos agentes. De acordo com a Adobe Analytics, os gastos online dos compradores americanos chegaram a US$ 3,7 bilhões, saltando 28% em relação ao ano passado. "Enquanto os dispositivos móveis continuam fortes, os varejistas perderam US$ 4,3 bilhões em receita potencial de smartphones na atual temporada devido ao abandono das compras físicas", notou a Adobe em um relatório. Quanto à Cyber Monday, a empresa disse esperar que deve gerar US$ 7,8 bilhões em vendas em relação ao ano passado, uma alta de 18% em relação ao ano passado.
No cenário em que as vendas online foram favorecidas, a Amazon viu suas ações saltarem 5,28% e puxou para cima papéis de empresas que se beneficiariam dos melhores resultados na Cyber Monday, como Apple (+1,35%), Spotify (+6,64%) e Microsoft (+3,30%). Durante a tarde, inclusive, as ações da Apple chegaram a operar no negativo diante da possibilidade de uma decisão desfavorável à empresa pela Suprema Corte dos EUA e fizeram com que, momentaneamente, a empresa perdesse o posto de maior companhia em valor de mercado para a Microsoft.
Durante esta semana, os agentes monitorarão eventos como o G-20, onde o presidente dos EUA, Donald Trump, se reunirá com o presidente da China, Xi Jinping. Além disso, os agentes aguardam por comentários de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) quanto ao futuro das altas de juros da instituição tanto na ata a ser publicada na quinta-feira quanto em comentários do vice-presidente Richard Clarida, na terça-feira, e de Jerome Powell, na quarta-feira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia