Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de novembro de 2018.
Dia do Técnico de Segurança do Trabalho. Dia Internacional de Combate ao Câncer.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

varejo

Edição impressa de 27/11/2018. Alterada em 27/11 às 20h37min

Vendas na Black Friday crescem 4,7% e superam estimativas

As vendas do comércio na Black Friday cresceram 4,7% em 2018 ante 2017, segundo dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O avanço superou a projeção da empresa, de alta de 4,5%.
Os dados consideram as consultas do período de 20 (terça-feira) a 24 (sábado) de novembro de 2018, comparadas às consultas realizadas entre 19 a 23 de novembro de 2017. Somente na sexta-feira, a estimativa é que as vendas tenham crescido 5,9% em relação a 2017.
Entre os itens mais vendidos na data estão os eletrônicos e os eletrodomésticos, itens de valor mais elevado.
Além disso, segundo a Boa Vista, os consumidores têm aproveitado as promoções da Black Friday para já anteciparem as compras de Natal, o que também vem favorecendo o movimento do comércio na data.
Ainda assim, de acordo com a Boa Vista SCPC, mesmo diante da antecipação das vendas de Natal para a Black Friday, a melhora do cenário econômico já aponta para um aumento significativo do movimento do comércio na principal data do ano para o setor.
Segundo os economistas da Boa Vista SCPC, o movimento visto na Black Friday reflete melhoras no mercado de trabalho e, especialmente, no mercado de crédito.

Campanha teve movimento semelhante ao de 2017 no varejo de Porto Alegre

Para 53,8% dos lojistas entrevistados pelo Núcleo de Pesquisa do Sindilojas Porto Alegre, as vendas se mantiveram iguais às da Black Week e da Black Friday de 2017. O resultado vai de encontro ao que foi levantado em estudo feito antes da promoção, quando 59% acreditavam que o volume de vendas seria igual ao do mesmo período do ano passado. O percentual dos entrevistados que venderam mais, entretanto, ficou abaixo do esperado pelos lojistas: 15,4% de realidade para 35,9% de expectativa. Produtos como roupas e calçados foram os mais procurados e o tíquete médio ficou em torno de R$ 130,58 por consumidor.

De acordo com o estudo, ainda, 15% dos lojistas começaram a Black Week uma semana antes da data oficial da campanha, que foi de 19 a 23 de novembro. Esse percentual admitiu já estar com produtos em promoção na semana do dia 12.

Outros 2% revelaram ter iniciado no fim de semana anterior (17 e 18 de novembro). Aqueles que começaram a Black Week na data oficial do comércio foram 47,5%, e 35% optaram por oferecer descontos apenas na Black Friday (dia 23). O maior volume de vendas dos que participaram da Black Week foi na sexta-feira da campanha. A pesquisa foi realizada levando em consideração os segmentos de vestuário, calçados, bazar, móveis e decoração.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia