Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Inovação

21/11/2018 - 19h50min. Alterada em 11/02 às 20h36min

Pacto assume missão de tornar Porto Alegre referência até 2025

(Da esq. para dir.) Balestrin (Unisinos), Piqué, Marchezan, Teixeira (Pucrs) e Oppermann (Ufrgs) na aliança

(Da esq. para dir.) Balestrin (Unisinos), Piqué, Marchezan, Teixeira (Pucrs) e Oppermann (Ufrgs) na aliança


GUSTAVO DIEHL/DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
A iniciativa que começou a partir de uma Aliança pela Inovação firmada entre a Ufrgs, a Pucrs e a Unisinos tomou forma, transbordou para a cidade e ontem assumiu um tom de mais comprometimento de toda sociedade, com a assinatura do Pacto pela Inovação ou, como está sendo chamado, o Pacto Alegre. A solenidade reuniu no Centro Cultural da Ufrgs reitores e pró-reitores das instituições de ensino, empresários, empreendedores e autoridades, como o prefeito Nelson Marchezan Jr. e o governador eleito do Estado, Eduardo Leite.
A iniciativa que começou a partir de uma Aliança pela Inovação firmada entre a Ufrgs, a Pucrs e a Unisinos tomou forma, transbordou para a cidade e ontem assumiu um tom de mais comprometimento de toda sociedade, com a assinatura do Pacto pela Inovação ou, como está sendo chamado, o Pacto Alegre. A solenidade reuniu no Centro Cultural da Ufrgs reitores e pró-reitores das instituições de ensino, empresários, empreendedores e autoridades, como o prefeito Nelson Marchezan Jr. e o governador eleito do Estado, Eduardo Leite.
A meta é tornar a capital gaúcha uma referência internacional em modelo de colaboração de inovação de alto impacto até 2025, a partir de uma série de ações que buscam conectar todas as iniciativas realizadas atualmente na cidade. Com isso, a expectativa é que Porto Alegre seja uma cidade mais criativa, empreendedora e inovadora, capaz de reter e atrair talentos e investimentos.
“O grande desafio é juntar todos os projetos existentes hoje na cidade, identificar quais são os prioritários e definir quem ficará responsável por atuar mais fortemente em cada um deles”, explica o especialista espanhol Josep Piqué, que até recentemente foi o presidente da Associação Internacional de Parques Científicos e Áreas de Inovação (Iasp).
O consultor conduziu esse mesmo processo em Barcelona, na Espanha, e em Medellin, na Colômbia. Recentemente, começou a desenvolver o pacto em Santa Catarina. “Porto Alegre está inovando na sua forma de fazer inovação, pois é a única cidade no mundo em que essa inovação ecossistêmica está sendo liderada pelas universidades”, destaca. Durante o evento de ontem, foi formalizada a incorporação de Piqué ao processo do Pacto Alegre. A iniciativa já recebeu aportes de R$ 540 mil de parceiros como o Sicredi, Badesul e Agibank. A maior parte deste recursos será destinada para essa consultoria internacional, que está desenvolvendo o projeto.
A mais relevante ação do Pacto até o momento é o Instituto de Inovação, que está sendo construído na área próxima ao DC Navegantes. Ali será criado um grande co-working capaz de receber até 1 mil startups. “O Instituto é a materialização do Pacto de Inovação. O desafio é desenvolver, atrair e reter talentos no Estado, aproximar o mundo corporativo das startups e ajudar a cidade e o Estado a resolver os seus desafios tecnológicos”, comenta Marciano Testa, CEO do Agibank, que está articulando essa ação.
A meta é inaugurar em janeiro e, no primeiro momento, receber 100 jovens empresas. Em menos de uma semana, em conversas com grandes empresários gaúchos, pelo menos metade das cotas foram fechadas com grandes corporações gaúchas. Em contrapartida, estes players poderão criar seus Labs dentro deste espaço. “Temos que construir atmosferas de colaboração para transformar o conhecimento gerado nas universidades em desenvolvimento. O Pacto é o grande projeto da Aliança”, destacou o coordenador do Aliança pela Inovação e pró-reitor de Pesquisa da Ufrgs, Luis Lamb.
O coordenador Pacto, Luiz Carlos Pinto, explica que até março de 2019 o grupo terá uma agenda de ações para essa construção. “Não adianta termos várias iniciativas se cada uma caminhar para um lado. Queremos construir uma convergência e decidir que futuro queremos para a nossa cidade”, destaca.
O superintendente de Inovação e Desenvolvimento da Pucrs, Jorge Audy, comenta que a sociedade do século 21 se constrói juntos e com coragem para sair da zona de conforto. “A mágica não acontece na zona de conforto. Precisamos nos expor, nos arriscar. E, claro, entender que um pacto como esse não se dá em quatro anos e, sim, em 15, 20 anos. É esse tipo de pensamento que queremos”, defendeu.

Iniciativa já reúne 75 entidades

A gestão do Pacto terá a governança da Aliança pela Inovação em colaboração com a prefeitura de Porto Alegre. Para iniciar os trabalhos, representantes de 75 entidades foram chamadas para compor a mesa do Pacto.
“O Pacto é uma tentativa de união de 1,5 milhão de porto-alegrenses”, destacou o prefeito Marchezan que está participando ativamente desta iniciativa. Ele destacou a importância da visão de futuro dos reitores das três universidades: Rui Vicente Oppermann (Ufrgs), Evilázio Teixeira (Pucrs) e Marcelo Fernandes de Aquino (Unisinos). “Eles cederam seus times e espaços para essa construção”, relatou ontem.
O governador eleito do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, esteve no encontro e acredita que essa iniciativa poderá alcançar as outras cidades. “Estou em contato com os gestores da Aliança pela Inovação para construirmos também uma visão de Estado, que impacte todos os gaúchos”, disse.
Uma ação já definida é a construção coletiva de um grande festival da inovação, programado para 2020, que vai servir de showcase para divulgar muitas das ações que entrarão em desenvolvimento em 2019. “A ideia é estimular muito a economia criativa. Também buscaremos explorar o potencial da cidade em áreas reconhecidamente fortes como a saúde e a tecnologia da informação”, conta o pró-reitor Acadêmico e representante da Unisinos no Comitê Executivo da Aliança pela Inovação, Alsones Balestrin.