Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de novembro de 2018.
Dia do Hoteleiro.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

09/11/2018 - 11h43min. Alterada em 09/11 às 11h49min

Produção da indústria gaúcha cresce 12,4% em setembro

Setor de automóveis, carrocerias e reboques puxaram mais uma vez o desempenho da indústria gaúcha

Setor de automóveis, carrocerias e reboques puxaram mais uma vez o desempenho da indústria gaúcha


JONATHAN HECKLER/JC
Patrícia Comunello
A indústria gaúcha segue mantendo o crescimento no volume físico no segundo semestre deste ano. Em setembro, o setor registrou nova alta, desta vez de 12,4% frente ao mesmo mês de 2017, apontou a Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM-PF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta sexta-feira (9).
O Estado apresentou o terceiro melhor desempenho - em agosto, havia liderado a arrancada da indústria nacional, atrás de Pernambuco, com alta de 15,9%, e Para, No ano, a indústria gaúcha acumula elevação de 4,7%, e, em 12 meses, de 3,5%.
Mais uma vez a fabricação de automóveis, reboques e carrocerias mostrou mais força, com avanço de 5,9% no mês. No ano, o setor acumula crescimento de 2,48% e 2,26% em 12 meses. Outro segmento que também repete desempenho é o de celulose, com elevação de 2,79%. O ritmo é menos forte de janeiro a setembro, com 1,32%, e 0,78% em 12 meses. Dos 14 setores monitorados, dez têm alta, pelo IBGE.
No confronto mensal, a indústria gaúcha tem alta menor, de 1,3% em relação a agosto, mas com isso ficou entre os oito locais com crescimento. Já sete (são 15 unidades da federação incluídas na pesquisa) apresentaram queda. Por isso, a PIM-RF ainda tem recuo de 1,8% na média nacional entre setembro e agosto no confronto mês a mês, e de 2% em relação a setembro de 2017.
Os recuos mais intensos frente a agosto foram no Amazonas (-5,2%), São Paulo (-3,9%), Bahia (-3,3%) e Paraná (-3,1%). Já Ceará (3,7%) e Pará (3,5%) apresentaram os maiores avanços no mês. 
  
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia