Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de novembro de 2018.
Dia Mundial do Urbanismo.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria calçadista

08/11/2018 - 18h14min. Alterada em 08/11 às 18h15min

Receita com exportações de calçados cresce 31% em outubro

De janeiro a outubro, foram 89,8 milhões de pares enviados ao exterior e US$ 793,76 milhões

De janeiro a outubro, foram 89,8 milhões de pares enviados ao exterior e US$ 793,76 milhões


ABICALÇADOS/DIVULGAÇÃO/JC
A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) informou nesta quinta-feira (8) que as exportações de calçados cresceram 11,2% em pares e 31% em receita ante setembro deste ano. Foram 11 milhões de pares embarcados somando US$ 93,77 milhões no mês passado. 
Outubro teve o segundo melhor fluxo financeiro externo do setor este ano. Abril foi o melhor mês até agora, com divisas de US$ 93 milhões. Frente a outubro de 2017, a alta ficou em 0,2% em dólares e 5,5% em volume. O acumulado de janeiro a outubro soma 89,8 milhões de pares enviados ao exterior e US$ 793,76 milhões. A receita foi 10,8% menor que a do mesmo período de 2017. 
O presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, atribui a recuperação a embarques para os Estados Unidos. O país voltou a ser o principal destino do calçado brasileiro. “É reflexo da medida em vigor desde o 13 de outubro que reduziu o imposto de importação em alguns produtos a zero”, observa Klein. A maior economia do mundo comprou 855,5 mil pares por US$ 17,84 milhões, alta de 18,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. 
O Rio Grande do Sul manteve a liderança nas vendas, com 42% do total vendido entre janeiro e outubro enviando 22,7 milhões de pares com divisa de US$ 358 milhões. O volume caiu 3,4% e a receita, 5%. 
Nos destinos, a Argentina ficou em segundo lugar em compras, recebendo 10,8 milhões de pares, com fluxo de US$ 126 milhões, alta de 6,6% em volume e queda de 2% em receita em dez meses. França foi o terceiro maior mercado, recebendo 5,8 milhões de pares com divisas de US$ 46,5 milhões, alta de 28% (volume) e 3,2% (receita), respectivamente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia