Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de novembro de 2018.
Dia do Hoteleiro.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

Edição impressa de 09/11/2018. Alterada em 08/11 às 22h01min

Câmara Argentino-Brasileira atrai empresas do Rio Grande do Sul

Perren destaca a importância da presença do Rio Grande do Sul

Perren destaca a importância da presença do Rio Grande do Sul


/MARCELO G. RIBEIRO/JC
Adriana Lampert
Prioridade no trabalho do cônsul-geral da Argentina em Porto Alegre, Jorge Perren, a viabilização do desenvolvimento das relações comerciais e econômicas entre o país vizinho e o Rio Grande do Sul está ganhando fôlego. O projeto avançou mais uma etapa nesta quinta-feira, quando 21 empresários aderiram à recém-criada Câmara Empresarial Argentino-Brasileira do Rio Grande do Sul (Ceab-RS). Perren chegou ao Estado há exatamente um ano, com a missão de criar o órgão, cuja finalidade é promover e incentivar ainda mais os possíveis negócios entre os dois destinos. "Trabalhamos nisso há dois anos, com o objetivo de criar um sistema mais forte que vincule empresários dos dois países para exportar e importar, aumentar a corrente de comércio nos dois sentidos", afirmou Perren antes da cerimônia de adesão e assinatura de Carta de Intenções, no Sheraton Hotel, em Porto Alegre.
O cônsul argentino destaca que existem outras 13 Ceabs no País, mas que a presença do Rio Grande do Sul (até então sem representatividade) "é muito importante" por se tratar do principal parceiro comercial no Brasil, além de manter uma identidade cultural "enorme" com a Argentina. Ele observa que ambos têm singularidades como a migração (de italianos e alemães), e o costume de beber vinhos e comer carnes. "O Rio Grande do Sul tem uma relação muito estreita com nosso país", disse Perren.
A Ceab-RS foi lançada em maio, durante evento ocorrido na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), que contou com a presença do embaixador argentino, Carlos Magariños. De lá para cá, Perren tem estudado com parceiros brasileiros novos processos produtivos além-fronteira. "A ideia é fazer coisas em comum, para vender interna e externamente em ambos os países, a exemplo do que já acontece no setor automotivo." A Ceab-RS já estuda integrar empresas do setor vitivinícola de Bento Gonçalves e Mendonça, na Argentina, além de desenvolver projetos em comum focados em enoturismo.
Sobre a mudança de política do Brasil em relação à Argentina e Mercosul (anunciada em declarações recentes do futuro ministro da Economia Paulo Guedes), o cônsul argentino prefere não opinar. "Acredito que o Mercosul e a Argentina sempre serão prioridades para o País", ponderou Perren. Em 2017, a corrente de comércio entre Argentina e o Estado alcançou US$ 4 bilhões - ficando atrás apenas da China -, com mais de 90% do intercâmbio bilateral envolvendo produtos industrializados. Com a criação da
Ceab-RS há um esforço para incrementar uma maior participação de pequenas e médias empresas. "Vamos redobrar os esforços para somar novos associados", afirma Perres. Na lista de âncoras entre as companhias que aderiram à Câmara Empresarial criada para atuar na Capital, estão as empresas Uniagro, Brasken, Termolar, Stihl, Dana Incorporated, Macopolo, Lojas Renner, e Artecola.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia