Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 11 de novembro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

09/11/2018 - 19h39min. Alterada em 11/11 às 19h51min

Litoral Norte deve abrir 7 mil vagas temporárias no verão

Sindicato espera que 3 milhões de pessoas circulem pelas praias no veraneio de 2019

Sindicato espera que 3 milhões de pessoas circulem pelas praias no veraneio de 2019


LUIZA PRADO/JC
Luis Filipe Gunther
Comerciantes e empreendedores das cidades do Litoral Norte do Rio Grande do Sul pretendem abrir 7 mil vagas de trabalho durante o próximo verão. Com a estação mais quente do ano iniciando em dezembro e o Carnaval caindo só em março, o veraneio deve se estender em 2019, o que deve espichar o período de permanência nos postos. Somente o complexo de parque aquático e hotel fazenda Acqua Lokos, em Capão da Canoa, está ofertando 300 vagas. candidatos devem se inscrever até a terça-feira (13). 
A grande movimentação esperada na temporada em 2019 aquece o mercado de trabalho. O Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares do Litoral Norte (SHRBS-LN) espera que 3 milhões de pessoas passem pelas praias em todo o veraneio. Para dar conta da explosão da população no período, os empreendimentos comerciais e de serviços locais terão de ampliar seus quadros, reduzidos durante a maior parte do ano, reforça o sindicato. 
A presidente do SHRBS-LN, Ivone Ferraz, observa que a contratação deverá ser gradativa, ocorrendo ao longo dos meses do veraneio. Para Ivone, 40% da demanda por funcionários deverão ser supridos por pessoas de outras regiões do Estado. Muitos deixam suas cidades para se mudar para as localidades praianas durante o período, em busca de oportunidades.
As vagas são recrutadas pelas agências do Sistema Nacional de Empregos (Sine) nas cidades do Litoral, que também selecionam e distribuem os candidatos, e pelo sindicato de hotelaria, que recebe as solicitações de empresários para a composição de postos. Conforme Ivone, as oportunidades de emprego devem incluir todos os setores, da gastronomia a lojas de calçados. A presidente do SHRBS-LN ainda ressalta que ainda as vagas de informais, que não chegam a ser contabilizadas.
O número de postos de empregos estimado pelo sindicato, comparados ao mesmo período de 2017, manteve-se. Ivone cita ainda que muitas vagas são preenchidas por pessoas que vêm de outras cidades e acabam retornando no ano seguinte. "As pessoas muitas vezes são demitidas de seus empregos e acabam vindo para o litoral com uma expectativa. Chegando aqui, a realidade acaba não sendo aquilo que pensavam e elas desistem do emprego", analisa a dirigente.
Já a coordenadora do Departamento de Relações com o Mercado do Sine-RS, Ana Fischer, diz que o empresariado vem optando pela abertura de postos temporários por causa da instabilidade do mercado. Para exemplificar, Ana retrata o período anterior à crise econômica, onde o País vivia um momento de pleno emprego e o número de postos temporários era bem menor do que os atuais. "Os empregadores investiam mais em seu quadro funcional e não demitiam pela dificuldade de uma reposição do mesmo nível. Na medida em que a economia desaqueceu e aumentou o desemprego, as vagas temporárias voltam a aparecer mais", conclui a coordenadora. 

Parque aquático já está contratando para 300 postos

Complexo com piscinas e hotel recebeu melhorias e quase triplicou número de vagas

Complexo com piscinas e hotel recebeu melhorias e quase triplicou número de vagas


Acqua Lokos/DIVULGAÇÃO/JC
Destino de muitos veranistas, o parque aquático e hotel fazenda Acqua Lokos, que fica às margens da ERS-389, a Estrada do Mar, em Capão da Canoa, é uma das operações que ampliarão o quadro de funcionários durante o verão. O complexo já abriu 300 vagas de emprego, sendo cem delas diretas e outras 200 para as 25 empresas prestadoras de serviços que atuam dentro do estabelecimento. O empreendimento também ampliou a área de diversão, onde trabalharão quase 200 pessoas. Os donos acreditam que as atrações vão elevar o fluxo de visitantes.
A empresa fornecerá um treinamento especializado para os novos contratados para atuarem nas diversas áreas do parque. A média salarial é de R$ 2.500,00. A oferta cresceu em relação à temporada anterior, que gerou 130 vagas.
Uma das razões é que o complexo teve maior demanda já no inverno, devido à movimentação gerada por áreas de diversão, com 40 atrações, como show circense e montanha russa. A fazenda, composta por passeio de cavalos e arvorismo, também virou atrativo nos meses de baixa temporada. A área aquática tem piscinas cobertas.
"O parque teve uma programação especial durante o inverno que acabou atingindo um público diferenciado do que o empreendimento estava habituado a receber", pontuou o diretor do Parque Hotel Acqua Lokos, Fabiano Brogni. Por isso, Brogni projeta que os contratados para a nova temporada têm grande chance de serem mantidos para o restante do ano.
Os candidatos às vagas podem concorrer até esta terça-feira às vagas. É preciso se apresentar na sede do complexo, às 9h para retirar ficha de inscrição. As entrevistas ocorrem até as 17h. Os interessados devem apresentar documentos, como carteira de trabalho, duas fotos 3x4, cópia da identidade, do CPF, do título de eleitor e de comprovante de residência. Quem tem filhos deve levar ainda documentação dos dependentes. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia