Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 01/11/2018. Alterada em 01/11 às 01h00min

Linhas de celulares pós-pagas sobem mais de 13% nos últimos 12 meses

O Brasil registrou aumento de 13,16% de linhas de celular no sistema pós-pago entre os meses de setembro de 2017 e setembro de 2018, confirmando tendência de migração de linhas pré-pagas para pós-pagas observada nos últimos meses. De acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em julho de 2018 as linhas móveis pós-pagas detinham 41% de participação de mercado, frente 59% de linhas no sistema pré-pago.

O Brasil registrou aumento de 13,16% de linhas de celular no sistema pós-pago entre os meses de setembro de 2017 e setembro de 2018, confirmando tendência de migração de linhas pré-pagas para pós-pagas observada nos últimos meses. De acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em julho de 2018 as linhas móveis pós-pagas detinham 41% de participação de mercado, frente 59% de linhas no sistema pré-pago.

Os dados da Anatel também mostram que, em setembro de 2018, aparelhos celulares que usam tecnologia 4G correspondiam a mais da metade do mercado, respondendo por 54% do total, com 125 milhões de linhas, seguidos de aparelhos com tecnologia 3G, com 63 milhões de linhas e 27% do mercado, e dos 2G, com 26 milhões e 11% do mercado. As linhas voltadas a aplicações máquina-máquina (M2M) totalizaram 18 milhões de unidades e respondem por 8% do mercado.

De acordo com a Anatel, o Brasil registrou 234,25 milhões de linhas móveis em operação em setembro de 2018. O número apresenta uma redução de 111.806 linhas em relação a agosto de 2018. Nos últimos 12 meses, houve redução de 6,8 milhões de linhas no País.

Na contramão da tendência nacional, o estado de Roraima registrou o maior aumento no número de linhas percentualmente, com a entrada de 38.406 linhas móveis, aumento superior a 8% na comparação entre os meses de setembro de 2017 e 2018. Em seguida está o Amapá, com aumento de 35.693 linhas, que corresponde a mais de 5%.