Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de outubro de 2018.
Dia do Professor.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Edição impressa de 15/10/2018. Alterada em 14/10 às 23h46min

Cresce o uso do Airbnb por pessoas com mais de 60 anos

Rio de Janeiro é um dos principais destinos nacionais buscados nas viagens feitas pela população mais velha

Rio de Janeiro é um dos principais destinos nacionais buscados nas viagens feitas pela população mais velha


/Tânia Rêgo/ABR/JC
Adriana Lampert
Pessoas com mais de 60 anos passaram a ser um público mais presente na plataforma de compartilhamento de lares e experiências Airbnb nos últimos 12 meses. De acordo com a empresa, de setembro de 2017 a setembro deste ano, o aumento registrado foi de 93% no número dos viajantes da categoria sênior. "Esta é a faixa etária de hóspedes que mais cresce, o que mostra que o uso de tecnologia para encontrar opções de aluguel de temporada e viagens inesquecíveis não é exclusividade de jovens", afirma o diretor-geral do Airbnb no Brasil, Léo Tristão. Segundo ele, um outro aspecto interessante é que os anfitriões seniores também estão crescendo na plataforma e são os que têm as melhores avaliações. Neste grupo está a gaúcha Daisy Adans, 69 anos, que, além de recepcionar viajantes, utiliza a plataforma para se hospedar em diversos destinos.
Daisy, atualmente aposentada, mora em João Pessoa (capital da Paraíba), mas costuma transitar bastante pelo País. A aposentada prefere usar o sistema do Airbnb quando viaja acompanhada, e, no caso de recepcionar visitantes, fez a escolha de só hospedar mulheres, sem restrição de faixa etária. "É um sistema maravilhoso, que só não utilizo quando viajo sozinha porque, em geral, fico em casas de amigos." Para Daisy, as vantagens do sistema são principalmente no que se refere a valores (com os custos de hospedagem caindo em torno de 50%). "Acho mais atrativo do que hotel (que utilizo somente quando acompanhada de um grupo grande) e uma boa alternativa quando se tem mais tempo e liberdade para ficar no destino", opina. A aposentada afirma que soma "ótimas experiências" neste sentido. "Sempre fui muito bem recebida e fiquei instalada em lugares muito bem organizados e limpos, em boa localização."
De acordo com Tristão, os anfitriões brasileiros com 60 anos ou mais são os que recebem as melhores avaliações dos hóspedes do Airbnb - com 85% de avaliação cinco estrelas. A maioria deste grupo de anfitriões é composta por mulheres (57%). Os anfitriões seniores também lucram mais anualmente: em torno de R$ 6 mil - enquanto a renda anual dos anfitriões das demais faixas etárias é de R$ 5,5 mil. O diretor da empresa comenta que os viajantes com idade acima de 60 anos tendem a fazer viagens mais longas do que os de outros grupos etários - em média, seis dias, enquanto, no geral, a duração é de quatro dias.
"Mais da metade viaja para destinos nacionais, com São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis liderando a preferência", cita Tristão. Entre as explicações para as viagens domésticas serem predominantes estão o preço mais baixo e o interesse cada vez maior por destinos nacionais para viagens em família (locais de praia ou de campo), e a necessidade de fazer viagens a trabalho, já que muitas pessoas com mais de 60 anos seguem economicamente ativas. Nos destinos internacionais, a Europa é a região de maior interesse, com destaque para Portugal - representando 34% das reservas internacionais de seniores brasileiros - e Itália (16%).
Entre os estrangeiros - a maior parte vinda da Argentina -, a cidade do Rio de Janeiro é a mais procurada, seguida por Florianópolis. Outras cidades que vêm crescendo no receptivo de visitantes seniores são Balneário Camboriú (SC), Santos (SP), Foz do Iguaçu (PR), João Pessoa (PB) e Belo Horizonte (MG).

Maioria dos idosos ainda prefere hotéis e pousadas, segundo levantamento do MTur

De acordo com levantamento realizado pelo Ministério do Turismo (MTur) no final de 2017, a maioria (57,8%) dos viajantes idosos ainda prefere se alojar em hotéis e pousadas. O mesmo relatório aponta que 30,5% dos entrevistados maiores de 60 anos tinham a intenção de viajar nos seis meses seguintes - metade desse grupo, para destinos nacionais. No entanto, os usuários seniores estão cada vez mais conectados e pertencendo ao mundo digital, pondera o diretor-geral do Airbnb no Brasil, Leonardo Tristão.

O executivo acredita que o aumento de viajantes com mais de 60 anos utilizando o sistema proposto pelo Airbnb está associado ao fato desse grupo estar cada vez mais ativo e buscando opções de viagens que lhes permitam ter "uma experiência única, local e mais autêntica" do que nos meios tradicionais de hospedagem. "E muitos estão sendo os responsáveis por planejar e reservar as viagens com os filhos e netos, já que confiam na segurança e na praticidade que o Airbnb proporciona." Conforme Tristão, o crescimento desse perfil na plataforma do Brasil também é maior do que o da média mundial (66%) nesta faixa etária.

Curtindo os anos de aposentadoria, o casal de pernambucanos Tania Cabral, 55 anos, e Ítalo Cabral, 59 anos, tem utilizado bastante o sistema de compartilhamento de residências. "Viajamos bastante pelo Airbnb, e é maravilhoso", comenta Tania, que, recentemente, chegou - em companhia do marido - de uma viagem à Flórida (EUA). "Ficamos instalados em uma casa e recebemos muitos mimos. Ao chegar, encontramos tudo pronto: tinha café, açúcar, sal, chocolate e frutas na dispensa, além de toalhas, sabonete, xampu e condicionador no banheiro. A cama era superconfortável, e o quarto, lindo e cheiroso, com TV e internet. Perfeito", elogia.

O casal utilizou a plataforma também para encontrar hospedagem em Nova Iorque (EUA), Lima (Peru), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS). "Além de sermos muito bem recebidos, fizemos amizade com os anfitriões de alguns destinos", comenta Tania. "Nunca tivemos nenhum problema." Segundo pesquisa realizada pelo Airbnb, os viajantes seniores brasileiros preferem viajar em grupos - de família ou amigos -, com duração maior do que as viagens de outras faixas etárias: mais de cinco dias nos destinos nacionais e oito dias no exterior. A viagem doméstica é predominante: representa 53% das reservas, com destaque para São Paulo (30%), à frente do Rio (26%) e de Florianópolis (13%). No Brasil, o Airbnb já reúne mais de 180 mil anúncios e foi responsável pela hospedagem de mais de 2 milhões de pessoas em 2017, com mais de 117 mil anfitriões em todo o País. A plataforma está presente em 191 países, em mais de 81 mil cidades, e já registrou mais de 400 milhões de hóspedes no mundo todo.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia