Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de outubro de 2018.
Dia Internacional do Combate à Obesidade.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Logística

Edição impressa de 11/10/2018. Alterada em 11/10 às 01h00min

Dragagem no porto do Rio Grande tem aval

Ordem de início da operação será assinada no dia 25 de outubro

Ordem de início da operação será assinada no dia 25 de outubro


/ALAN BASTOS/DIVULGAÇÃO/JC

A dragagem do canal de acesso ao porto do Rio Grande terá a ordem de início assinada no próximo dia 25. A informação foi repassada pelo ministro dos Transportes, Valter Casimiro, ao governador José Ivo Sartori. A dragagem é uma das principais reivindicações da Superintendência do Porto do Rio Grande (Suprg) e do governo do Estado em Brasília.

O contrato para a obra foi assinado em 2015, pela extinta Secretaria Especial de Portos da Presidência da República. Depois de uma série de divergências entre o contrato assinado e o entendimento do Ibama (órgão licenciador), a Suprg passou a trabalhar num plano de dragagem ambientalmente seguro, que foi entendido e aprovado pelo Instituto.

"Desde 2015, trabalhamos para obter a licença do Ibama para a realização da obra", enfatiza o diretor-superintendente do porto, Janir Branco. O projeto que será executado compreende uma obra de manutenção do canal de acesso ao porto. Devem ser retirados cerca de 16 milhões de metros cúbicos de sedimentos depositados no canal e que prejudicam a navegação.

O plano de dragagem foi aprovado em maio deste ano e, desde então, o projeto aguardava a contratação da empresa de fiscalização e a disponibilidade orçamentária por parte do governo federal. Atualmente, o calado (profundidade) máximo do porto é de 12,8 metros. Em 2017, o complexo portuário movimentou mais de 40 milhões de toneladas, sendo a soja o principal produto de exportação.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia