Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 11 de outubro de 2018.
Dia Internacional do Combate à Obesidade.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Sistema Financeiro

Edição impressa de 11/10/2018. Alterada em 11/10 às 01h00min

BRDE participa como piloto de programa britânico para buscar financiamentos

Iniciativas com dinheiro britânico devem ser realizadas pela instituição de fomento no biênio 2019/2020

Iniciativas com dinheiro britânico devem ser realizadas pela instituição de fomento no biênio 2019/2020


BRDE/BRDE/DIVULGAÇÃO/JC
O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) se capacitará como uma das duas instituições de fomento piloto do Programa Green Finance, fundo do governo do Reino Unido que subsidia projetos sustentáveis. O objetivo é buscar recursos para financiar ações de crescimento sustentável e aprimoramento do mercado de finanças verdes no Brasil.
O protocolo de intenções foi assinado nesta quarta-feira (10), em Brasília, pelo chefe do Departamento de Novos Negócios do BRDE, Fernando Lopes Laurent, e o embaixador britânico, Vijay Rangarajan. A outra instituição credenciada é o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). As iniciativas devem ser realizadas no biênio 2019/2020.
Conforme Rangarajan, "a experiência foi aplicada na Índia e na China, onde a capacitação em finanças verdes permitiu a aplicação de investimentos dos europeus, iniciando em 100 milhões de libras esterlinas e superando bilhões". O embaixador acrescentou que o Brasil é um parceiro importante nas áreas dos combustíveis, infraestrutura e agricultura de baixo carbono.
A primeira fase de capacitação está orçada em 25 mil libras esterlinas (mais de R$ 123 mil). Serão aplicadas até 80 mil libras esterlinas (mais de R$ 395 mil) com a segunda fase, que compartilhará a experiência dos pilotos com as demais instituições de desenvolvimento brasileiras. Já na terceira fase, a começar em março de 2019, identificará projetos de captação de recursos no Reino Unido para aplicação no Brasil.
Sob a temática dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, a parceria do Reino Único considera o compromisso de redução de gases de efeito estufa firmada pelo Brasil na COP21 (Acordo de Paris - Meta de 2 graus). A parceria com BRDE e BDMG ainda desenvolverá metodologias e acompanhamento de impacto sustentável produzido pelos projetos.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia