Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 02 de outubro de 2018.
Dia Internacional do Notário.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Investimentos

Edição impressa de 02/10/2018. Alterada em 01/10 às 23h18min

Grêmio lança título de capitalização para torcedor

Grêmio Mais é fruto da parceria do clube com a IDT; Ferreira mira em 250 mil unidades vendidas por semana

Grêmio Mais é fruto da parceria do clube com a IDT; Ferreira mira em 250 mil unidades vendidas por semana


/MARCELO G. RIBEIRO/JC
Guilherme Daroit
Saudado pelo clube e seus parceiros como algo inédito entre clubes, o Grêmio lançou ontem um título de capitalização com a sua marca. Batizado de Grêmio Mais, o produto está à venda a partir de hoje com bilhetes a R$ 10,00, que dão acesso a conteúdo multimídia sobre a história do clube e, principalmente, dois números que concorrerão a 111 prêmios na semana de emissão do cupom. Além dos meios digitais (app e site do clube), até o fim do ano os bilhetes estarão à venda também em 17 mil pontos no Estado.
O Grêmio Mais é uma parceria do clube com a empresa IDT, ligada ao empresário gaúcho José Renato Hopf (fundador da Getnet e da 4all), com as emissões sendo feitas na modalidade de incentivo pela Icatu Capitalização. A partir de hoje, os bilhetes já estão à venda nos canais oficiais do Grêmio e em 100 pontos de venda em Porto Alegre. Nos próximos dias, por meio de parceria com redes de recarga de celular, a previsão é de que os bilhetes estejam à venda por meio de máquinas de adquirência em 3 mil pontos na Capital, como tabacarias, bazares e mercados, chegando aos 17 mil pontos em todo o Rio Grande do Sul até o fim de 2018. Até novembro, o título poderá ser comprado também nos terminais da Saque e Pague.
Embora as expectativas ainda sejam muito variáveis entre os integrantes do projeto, o CEO da IDT, Jorge Ferreira, faz alusão a um produto com razoável semelhança vendido pelo Grêmio nos anos 1990. "Chegou a vender 250 mil por semana, e, por isso, miramos nesses números, mas não chegaremos lá agora no início do projeto", comenta Ferreira, que busca uma consolidação do Grêmio Mais nos primeiros meses de venda.
Até para ajudar nesse processo de conhecimento, os prêmios devem se manter os mesmos nos primeiros sorteios, sendo um de R$ 41.250,00 (equivalente a um automóvel), 10 de R$ 1.875,00 (equivalentes a 10 smartphones) e 100 de R$ 412,50 (alusivos a um kit de produtos do clube) por semana. Os sorteios acontecem aos sábados, usando os resultados da Loteria Federal. O primeiro sorteio acontece em 13 de outubro. No futuro, porém, há planos para semanas com premiações especiais.
Cada bilhete comprado dará acesso permanente aos conteúdos disponibilizados na semana de emissão - ou seja, quem adquirir o Grêmio Mais para o primeiro sorteio, por exemplo, poderá abrir a qualquer momento, no futuro, o material multimídia da semana de estreia do produto, assinado pelo jornalista Eduardo Bueno.
A princípio, os conteúdos abordarão a história do clube, sem entrar na cobertura do cotidiano do futebol. "Por ser digital, é um produto vivo, e isso nos permite ter o feedback do torcedor nos dizendo o que ele quer", argumenta Ferreira, citando jogos interativos e rede de descontos como possíveis ampliações dos benefícios do título.
O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Jr, se disse confiante que o Grêmio Mais será "um projeto de sucesso", defendendo o produto como vetor de formação de receitas para o clube e de relacionamento com o torcedor. "Todo torcedor poderá auxiliar o Grêmio, independentemente de ser sócio ou não, a qualquer momento que quiser", afirma Bolzan, que aposta na força da marca para catapultar as vendas de bilhetes.
Parceiro do projeto na emissão do título de capitalização, o vice-presidente da Icatu, César Saut, argumenta que o projeto esteve em discussão por bastante tempo, para garantir que não caia na definição de loteria, exclusividade da Caixa Econômica Federal. O Grêmio Mais, segundo o executivo, une "tecnologia, segurança, marketing e propósito".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia