Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Petróleo

06/09/2018 - 01h02min. Alterada em 06/09 às 06h50min

Produção da Petrobras será mais intensa a partir doano que vem

A Petrobras aumentará sua produção de forma mais intensa a partir de 2019 e, em 2022, atingirá a marca de 2,9 milhões de barris por dia (bpd), informou a empresa. Em quatro anos, 16 novas plataformas entrarão em operação no Brasil, complementou. Em julho, foram extraídos 2 milhões de bpd, último dado divulgado pela empresa. O volume é o mesmo dos primeiros meses de 2016, ano em que, em dezembro, a extração chegou a atingir o pico de 2,3 milhões de bpd. Na prática, é como se duas plataformas tivessem sido retiradas do sistema de produção da companhia desde então.
A Petrobras aumentará sua produção de forma mais intensa a partir de 2019 e, em 2022, atingirá a marca de 2,9 milhões de barris por dia (bpd), informou a empresa. Em quatro anos, 16 novas plataformas entrarão em operação no Brasil, complementou. Em julho, foram extraídos 2 milhões de bpd, último dado divulgado pela empresa. O volume é o mesmo dos primeiros meses de 2016, ano em que, em dezembro, a extração chegou a atingir o pico de 2,3 milhões de bpd. Na prática, é como se duas plataformas tivessem sido retiradas do sistema de produção da companhia desde então.
A empresa argumenta ainda que o desempenho de julho "segue em linha com a meta divulgada no Plano de Negócios e Gestão 2018-2022, de 2,1 milhões de bpd". Neste ano, a produção foi afetada por paradas em plataformas, principalmente no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos. De acordo com a petroleira, "as paradas para manutenção ocorridas em 2018 foram todas programadas e a produção está de acordo com a meta específica para o campo".