Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de setembro de 2018.
Dia da Amazônia.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Edição impressa de 05/09/2018. Alterada em 05/09 às 01h00min

Amazon é a segunda empresa dos EUA a atingir US$ 1 trilhão em valor de mercado

Folhapress
A Amazon se tornou, ontem, a segunda empresa norte-americana a atingir US$ 1 trilhão em valor de mercado, um marco no processo de transformação de uma livraria on-line para uma gigante do comércio eletrônico. A primeira companhia a bater a marca foi a Apple, em agosto.
As ações da Amazon chegaram a subir 1,9%, para US$ 2.050 durante o dia, valor necessário para subir o valor da companhia acima de US$ 1 trilhão. No fim do pregão, a alta foi de 1,3%. No ano, os papéis da varejista acumulam alta de 75%, um adicional de US$ 435 bilhões em seu valor - aproximadamente o tamanho da rede de supermercados Walmart.
A Amazon se expandiu rapidamente desde sua fundação, em 1994, como uma livraria on-line na garagem de Jeff Bezos. Quando abriu seu capital, em 1997, foi avaliada em menos de US$ 500 milhões. De lá para cá, seus papéis se valorizaram 135.733%.
Bezos é, atualmente, o homem mais rico do mundo pelo ranking da Forbes. Ontem, o empresário, que detém 16% da Amazon, adicionou US$ 1,8 bilhão à sua fortuna, avaliada em US$ 116,5 bilhões.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia