Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

negócios corporativos

01/09/2018 - 17h40min. Alterada em 01/09 às 17h48min

Coca-Cola compra rede britânica de cafeterias

A Costa Cafés é vista como a grande rival da americana Starbucks no Reino Unido

A Costa Cafés é vista como a grande rival da americana Starbucks no Reino Unido


costa coffee/divulgação/JC
A gigante das bebidas Coca-Cola anunciou que vai comprar a rede de cafés Costa, que pertence ao grupo britânico Whitbread, pelo equivalente a US$ 5,1 bilhões (pelo câmbio de sexta, dia 31, aproximadamente R$ 21 bilhões).
A gigante das bebidas Coca-Cola anunciou que vai comprar a rede de cafés Costa, que pertence ao grupo britânico Whitbread, pelo equivalente a US$ 5,1 bilhões (pelo câmbio de sexta, dia 31, aproximadamente R$ 21 bilhões).
O negócio incluiu as dívidas da rede, que tem de 2,4 mil estabelecimentos no Reino Unido, além de 1,4 mil em 30 outros países - a rede vem mostrando crescimento especialmente forte na China. O negócio fez as ações da Whitbread fecharem ontem em alta de 14,6% na Bolsa de Londres.
A Costa, que foi fundada em 1971, é vista como a grande rival da americana Starbucks no Reino Unido. A expectativa é a de que o negócio seja concluído até o fim do primeiro semestre do ano que vem.
A Whitbread era dona da Costa havia 23 anos, quando adquiriu a franquia por cerca de US$ 30 milhões (ou R$ 123 milhões). Na ocasião, a cadeia tinha apenas 39 lojas.
A intenção do grupo agora é focar suas atividades na rede hoteleira Premier. Quase a totalidade do dinheiro será distribuída entre os acionistas. Os recursos restantes serão usados para pagamento de dívidas da Whitbread, aportes no fundo de pensão da companhia e também para financiar a expansão do conceito Premier Inn.
De acordo com fontes do setor de bebidas, a compra da rede de cafés faz parte de um projeto da companhia de se tonar menos dependente dos refrigerantes, que ainda são seu carro-chefe, mas que vêm enfrentando queda nas vendas em várias partes do mundo.
Segundo a Coca-Cola, a entrada nesse segmento será uma oportunidade para a empresa estrear no mercado de bebidas quentes, que não faz parte de seu portfólio atual. A empresa destacou que assumirá uma marca global, ampliando seu conhecimento na área.