Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Conjuntura Internacional

24/08/2018 - 15h21min. Alterada em 24/08 às 15h21min

Powell diz que economia dos EUA está forte e há motivos para esperar continue

Powell prometeu 'fazer o que for preciso' caso expectativas de inflação subam ou recuem muito

Powell prometeu 'fazer o que for preciso' caso expectativas de inflação subam ou recuem muito


CHIP SOMODEVILLA/AFP/JC
O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, mostrou otimismo com o quadro econômico dos Estados Unidos, em discurso nesta sexta-feira (24) em Jackson Hole, Wyoming, onde o Fed realiza seu simpósio anual. Segundo a autoridade, a economia do país está "forte", em um quadro de inflação perto da meta de 2% e no qual a maioria das pessoas em busca de emprego consegue vagas.
O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, mostrou otimismo com o quadro econômico dos Estados Unidos, em discurso nesta sexta-feira (24) em Jackson Hole, Wyoming, onde o Fed realiza seu simpósio anual. Segundo a autoridade, a economia do país está "forte", em um quadro de inflação perto da meta de 2% e no qual a maioria das pessoas em busca de emprego consegue vagas.
"Eu e meus colegas monitoramos cuidadosamente os dados e estamos estabelecendo uma política monetária que possa apoiar a continuidade do crescimento, um mercado de trabalho forte e a inflação perto de 2%", afirmou.
Em seu discurso, Powell também se mostrou comprometido a "fazer o que for preciso", caso as expectativas de inflação subam ou recuem muito ou diante de uma ameaça de crise. Além disso, comentou que uma década de reformas regulatórias e avanços do setor privado aumentaram a força e a resistência do sistema financeiro, o que reduz a probabilidade de que "os inevitáveis choques financeiros se transformem em crises".
Powell defendeu a continuidade de um aperto monetário gradual, no quadro atual. Segundo ele, esse processo é "adequado", caso os ganhos de renda e emprego continuem a ocorrer. "Há bons motivos para esperar que a economia siga forte", apontou. Nesse quadro, "ancorar as expectativas de inflação no mais longo prazo é vital para atingir todas as outras metas de política monetária", disse.