Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Combustíveis

Edição impressa de 10/08/2018. Alterada em 10/08 às 01h00min

Estado poderá produzir etanol a partir de triticale em 2020

O Rio Grande do Sul pode começar a produzir combustível a partir de triticale (cereal híbrido obtido com o cruzamento do trigo e do centeio) em 2020. A novidade é um investimento da Usina Social Inteligente (USI Biorrefinarias), que firmou intenção com o governo do Estado, nesta quinta-feira, para instalar uma biorrefinaria em Campo Novo, na região do Celeiro.

A intenção é instalar uma usina para produção de 100 m3/dia de etanol hidratado carburante a partir de grãos do cereal híbrido em parceria com cooperativas do município. Além disso, conforme o protocolo assinado, a USI Biorrefinaria produzirá também 46,5 toneladas/dia de ração animal. "Esse é um projeto piloto, utilizando num primeiro momento uma área de 20 mil hectares de triticale. Acreditamos que este vai ser um projeto modular, onde utilizaremos algo em torno de até 400 mil hectares no futuro", projetou o agrônomo e presidente da USI Biorrefinaria, Francisco Mallmann.

Conforme a empresa, o plano de negócios já foi concluído e os próximos passos são obter a licença ambiental de instalação, estimada para 2019, e de operação, em 2020. O investimento deve ser de R$ 70 milhões.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia