Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Seguros

06/08/2018 - 13h20min. Alterada em 06/08 às 13h20min

Lucro líquido da BB Corretora soma R$ 334,7 milhões no segundo trimestre

O braço de distribuição de seguros da BB Seguridade, a BB Corretora, teve lucro líquido 3,1% menor no segundo trimestre deste ano, para R$ 334,7 milhões na comparação com o visto um ano antes, de cerca de R$ 345 milhões. Na comparação com os três meses anteriores, a queda foi ainda maior, de 14,3%.
O braço de distribuição de seguros da BB Seguridade, a BB Corretora, teve lucro líquido 3,1% menor no segundo trimestre deste ano, para R$ 334,7 milhões na comparação com o visto um ano antes, de cerca de R$ 345 milhões. Na comparação com os três meses anteriores, a queda foi ainda maior, de 14,3%.
A queda no comparativo anual, conforme explica a holding, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, reflete a redução do resultado financeiro, impactado por uma menor taxa média Selic.
O resultado operacional da BB Seguridade teve alta de 0,3% no segundo trimestre ante um ano, suportado pelo aumento de 3,8% nas receitas de corretagem, que por sua vez foi impulsionado pelo desempenho das receitas advindas da BB Mapfre SH1 (+9,2%) e Brasilcap (+50,4%), compensado em parte pela performance negativa das receitas de corretagem oriundas da Brasilprev (-24,4%) e da Mapfre BB SH2 (-3,6%).
A BB Seguridade informa ainda que a margem operacional da BB Corretora apresentou deterioração de 2,7 ponto porcentual no segundo trimestre para 77,2% ante 79,9% em um ano e 81,7% nos três meses anteriores.
Conforme a companhia, a queda reflete uma estratégia comercial mais focada em produtos de menor tíquete, o que resultou no aumento de 133,8% na quantidade de produtos vendidos no comparativo anual e no impacto negativo na margem operacional em um primeiro momento.