Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

energia

31/07/2018 - 11h58min. Alterada em 31/07 às 11h58min

Aneel aprova edital de leilão de energia que será realizado fim de agosto

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o edital do leilão de energia nova A-6, que será realizado no dia 31 de agosto. Os empreendimentos que vencerem a disputa deverão entregar energia a partir de 1º de janeiro de 2024. O preço-teto da energia a ser contratada será de R$ 308,00 por megawatt-hora (MWh).
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o edital do leilão de energia nova A-6, que será realizado no dia 31 de agosto. Os empreendimentos que vencerem a disputa deverão entregar energia a partir de 1º de janeiro de 2024. O preço-teto da energia a ser contratada será de R$ 308,00 por megawatt-hora (MWh).
Hidrelétricas terão preço máximo de R$ 290,00 por MWh; eólicas, R$ 227,00 por MWh; termelétricas a biomassa, carvão e gás natural, R$ 308,00 por MWh. Entre empreendimentos com outorga e com contrato, o preço máximo para hidrelétricas será de R$ 151,68 por MWh, e para eólicas, R$ 171,82 por MWh.
Três produtos serão ofertados, sendo dois na modalidade por quantidade e um por disponibilidade. Na modalidade quantidade, empreendimentos de fonte hidrelétrica terão o prazo de suprimento de 30 anos, e de fonte eólica, 20 anos. Será a primeira vez que as usinas eólias serão contratadas por quantidade, modelo em que o risco é assumido pelo empreendedor.
Na modalidade por disponibilidade, poderão disputar termelétricas a biomassa, carvão e gás natural, com prazo de suprimento de 25 anos. Todas as fontes vão concorrer entre si. O leilão terá duas fases: na primeira, concorrem hidrelétricas com potência superior a 50 MW. A demanda residual da primeira fase vai definir o volume que será contratado na segunda fase.
De acordo com informações da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), estão cadastrados 1.090 projetos, que totalizam 59,116 mil megawatts (MW) de potência. A maioria dos projetos (928) é de eólicas. Também estão inscritas 66 pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), 7 hidrelétricas, 23 centrais geradoras hidrelétricas (CGHs) e 66 termelétricas. Já em termos de potência, a maior oferta disponível é de termelétricas a gás, com 28,656 mil MW.