Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Conjuntura internacional

27/07/2018 - 11h19min. Alterada em 27/07 às 12h18min

PIB dos EUA cresce à taxa de 4,1% no 2º trimestre

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu à taxa anualizada de 4,1% no segundo trimestre de 2018, no ritmo mais forte em quase quatro anos, de acordo com a primeira estimativa do dado, publicada nesta sexta-feira (27) pelo Departamento do Comércio. O avanço foi impulsionado por recuperação nos gastos do consumidor, nas exportações e no investimento empresarial firme.
O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu à taxa anualizada de 4,1% no segundo trimestre de 2018, no ritmo mais forte em quase quatro anos, de acordo com a primeira estimativa do dado, publicada nesta sexta-feira (27) pelo Departamento do Comércio. O avanço foi impulsionado por recuperação nos gastos do consumidor, nas exportações e no investimento empresarial firme.
O número veio abaixo do previsto por analistas ouvidos pelo Wall Street Journal, que indicavam crescimento de 4,4%. No primeiro trimestre, a economia dos EUA cresceu 2,2% (dado revisado do avanço de 2,0%). As exportações líquidas adicionaram 1,06 ponto porcentual à taxa de crescimento do PIB de 4,1% no trimestre, com as exportações subindo fortemente.
No início deste mês, o Departamento de Comércio informou que as exportações de soja dos EUA subiram no segundo trimestre, proporcionando um crescimento extraordinário ao crescimento econômico, mesmo quando a China transferiu grande parte de suas fontes para o Brasil em resposta ao agravamento das relações comerciais com os EUA. O avanço das exportações refletem os esforços por compradores para obter soja antes do início das de 25% da China em retaliação sobre a soja dos EUA, que começou em 6 de julho.

Trump comemora PIB forte e 'sustentavel' e prevê alta de mais de 3% em 2018

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comemorou em declarações na Casa Branca nesta sexta-feira os números mais recentes da economia. O Produto Interno Bruto (PIB) avançou 4,1% no segundo trimestre, de acordo com a primeira leitura do dado, divulgada mais cedo pelo Departamento do Comércio. No primeiro trimestre, o crescimento havia sido de 2,2% (dado revisado). "A economia americana caminha para um crescimento anual de mais de 3% e pode ser bem superior a isso", afirmou Trump. O presidente americano disse ainda que, com acordos comerciais, o avanço do PIB deve ser ainda mais forte.
Trump afirmou que os números do PIB são "muito sustentáveis" e defendeu também sua estratégia de pressionar outros países para reduzir o déficit comercial americano. "Estamos finalmente acabando com abusos de décadas no comércio externo."O presidente disse que a economia americana cresce a um ritmo "dez vezes maior" atualmente que nos governos de George W. Bush e Barack Obama. Citou a geração de empregos e de riqueza, bem como os cortes de regulações que dão mais margem de manobra ao governo. "Temos alcançado uma reação econômica de proporções históricas", disse.
Trump também afirmou que o setor de aço americano está "de volta à ativa", após ele impor tarifas à importação de aço e alumínio por questões de segurança nacional, algo contestado por outras nações. Ele lembrou que essa área gera muitos empregos e disse que a reforma tributária realizada por seu governo tem igual efeito.
De acordo com o presidente, seu governo prepara um novo sistema de seguro-saúde, com custos mais baixos para os americanos e mais oportunidades para que possam escolher seus planos.