Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de julho de 2018.
Dia do Amigo.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

20/07/2018 - 11h25min. Alterada em 20/07 às 11h56min

Vendas do varejo crescem 3,1% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

Em junho, foi apurada expansão de 1,0% das vendas em relação a maio, diz Boa Vista

Em junho, foi apurada expansão de 1,0% das vendas em relação a maio, diz Boa Vista


MARCO QUINTANA/JC
As vendas do comércio varejista no Brasil registraram alta de 3,1% no 1º semestre de 2018, em comparação ao mesmo período do ano anterior, revelam dados da Boa Vista SCPC. Em junho, foi apurada expansão de 1,0% das vendas em relação a maio, na avaliação com ajuste sazonal, enquanto o resultado acumulado em 12 meses encerrados no sexto mês do ano apresentou alta de 4,5% ante o período equivalente anterior.
Já na análise do resultado de junho ante igual mês de 2017, foi verificada expansão de 3,1% dos negócios. Para a Boa Vista, a expansão das vendas em junho indica que, após as dificuldades impostas pela paralisação dos caminhoneiros no fim de maio, o varejo retomou a trajetória de crescimento. "Também ocorreu evolução no semestre, mas em ritmo menor do que esperado, devido ao baixo desempenho da economia e mercado de trabalho fragilizado", pondera a entidade em nota.
Para o segundo semestre de 2018, a Boa Vista espera que "com a continuidade da expansão do crédito, melhora no emprego e na confiança dos consumidores ocorra a consolidação de um ritmo de recuperação maior".
O segmento de móveis e eletrodomésticos liderou o movimento de alta na comparação mensal, com expansão de 2,0% dos negócios, descontados os efeitos sazonais. Também contribuíram positivamente as vendas de outros artigos (3,2%) e de tecidos, vestuários e calçados (1,3%). As vendas de supermercados, alimentos e bebidas ficaram estáveis na mesma base de comparação, enquanto combustíveis apresentaram leve alta de 0,5% nas vendas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia