Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de julho de 2018.
Dia do Amigo.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 20/07 às 11h20min

Otimismo com apoio do Centrão a Alckmin derruba risco Brasil

O risco Brasil medido pelo Credit Default Swap (CDS), derivativo de crédito que protege contra calotes na dívida soberana, caía 5,45 pontos nesta manhã de sexta-feira (20), para 223,90 pontos, de acordo com cotações apuradas pela Markit, considerando os contratos de 5 anos. É o menor nível desde 30 de maio deste ano, quando o risco Brasil fechou em 216,28 pontos. Na quinta-feira, o fechamento ficou em 236,81 pontos.
A queda reflete otimismo dos agentes financeiros após o apoio do Centrão ao ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida presidencial, segundo operadores do mercado. A decisão é vista por esses profissionais como sinal de fortalecimento de uma candidatura "reformista", por isso, minimizaria o risco eleitoral de uma candidatura de esquerda, como a do presidenciável Ciro Gomes, que vinha conversando também com o bloco partidário.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia