Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de julho de 2018.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Alterada em 19/07 às 20h20min

Macri receberá diretora do FMI nesta sexta-feira

Folhapress
O presidente da Argentina, Mauricio Macri, receberá na Residência de Olivos, nesta sexta-feira (20), a diretora do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde, que virá para a abertura da reunião de ministros da Economia e de presidentes de Bancos Centrais do G20, que ocorre em Buenos Aires nos dias 21 e 22.
Estarão presentes também o chefe de gabinete, Marcos Peña, o ministro da Fazenda, Nicolás Dujovne, e o presidente do Banco Central, Luis Caputo. Espera-se que na agenda deste encontro, como declarou Dujovne na manhã desta quinta-feira (19) a jornalistas, que a Argentina esteja cumprindo as metas exigidas pelo FMI para receber a linha de crédito stand up de US$ 50 bilhões (US$ 15 bilhões já chegaram).
No sábado (21) pela manhã, Dujovne e Lagarde abrirão a reunião do G20 no Centro de Exposições e Convenções de Buenos Aires (CEC). Esta é a terceira reunião da área econômica do grupo realizada neste ano. São reuniões consideradas preparatórias para a reunião presidencial do G20, que ocorrerá no final de 2018, em 30 de novembro e 1 de dezembro.
Macri também receberá, separadamente, em reuniões bilaterais, o ministro da Fazenda do Chile, Felipe Larraín, o ministro da Economia da França, Bruno Le Maire, e o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin.
Le Maire provocou polêmica em sua última passagem por Buenos Aires ao afirmar que o acordo entre o Mercosul e a União Europeia estavam parados. De fato, os agricultores e produtores de carne franceses são os que mais vêm colocando resistência para a conclusão do tratado. Os temas desta ronda do G20 serão o futuro do Trabalho e da infraestrutura para o desenvolvimento de mais vagas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia