Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de julho de 2018.
Dia de Proteção às Florestas .

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 17/07/2018. Alterada em 17/07 às 01h00min

IPC-S desacelera na segunda semana do mês

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) fechou a semana encerrada no dia 15 de julho, com queda de 0,34 ponto percentual, ao apresentar variação de 0,67%, contra 1,01% da semana imediatamente anterior.

Divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), o resultado do levantamento da semana passada reflete queda de preços em sete das oito classes de despesas componentes do índice.

A exceção foi apenas o grupo educação, leitura e recreação, cujos preços passaram de 0,76% para 1,05%. Nesta classe de despesa, a maior contribuição partiu do item salas de espetáculo, que passou de 0,70% para 1,72%.

Já entre os sete grupos que fecharam com retração na taxa de inflação, entre a semana encerrada no dia 7 e da do dia 15, a maior contribuição partiu do grupo alimentação, cujos preços chegaram a cair entre uma semana e outra 0,81 ponto percentual, de 1,17% para 0,36%.

Nessa classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item hortaliças e legumes, cuja taxa passou de menos 10,27% para menos 18,45%, fechando a semana encerrada no último dia 15 com uma deflação que chegou a 28,82 pontos percentuais.

De acordo com o levantamento da FGV, também registraram decréscimo em suas taxas de variação no período os grupos transportes (de 0,98% para 0,36%), habitação (de 1,75% para 1,59%), vestuário (de -0,26% para -0,54%), despesas diversas (de 0,18% para 0,07%), saúde e cuidados pessoais (de 0,35% para 0,31%) e comunicação (de 0,42% para 0,39%).

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia