Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de julho de 2018.
Dia do Engenheiro Florestal.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 12/07 às 11h20min

Com ambiente externo favorável para bolsas e emergentes, Ibovespa abre em alta

O Ibovespa abriu em alta, alinhado à recuperação das ações e índices futuros no exterior e ao bom humor global com emergentes. O real segue em alta perante o dólar, o qual também perde valor ante as divisas pares do Brasil.
Apesar de ter reduzido ganhos nos últimos minutos, o petróleo segue com valorização nos mercados futuros de Nova Iorque (Nymex) e Londres (ICE), comportamento que favorece a Petrobras. Às 10h23min, o Ibovespa subia 0,72% aos 74.934 pontos, enquanto a PN da petroleira subia 1,49% e o barril do Brent para setembro tinha alta de 0,89%.
O enfraquecimento do dólar ante moedas desenvolvidas e emergentes, inclusive o real, ficou mais intenso após a divulgação da inflação ao consumidor dos EUA (CPI). O indicador subiu 0,1% em junho ante maio, abaixo da previsão de alta de 0,2%.
Voltando à bolsa, o que pode vir a ser um limitador para os ganhos é o mal-estar com o descontrole fiscal. A aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), concluída esta madrugada na Câmara com a derrubada da proibição de reajustes nos salários dos servidores para 2019, fará as agências de classificação de rating olharem o Brasil com uma lupa maior, na avaliação do sócio da SP Capital, Fábio Susteras. Ele avalia, entretanto, que a derrubada da proibição já estava em boa medida nos preços dos ativos.
As vendas do comércio varejista caíram 0,6% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, informou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com maio de 2017, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 2,7% em maio de 2018. Nesse confronto, as projeções iam de uma queda de 4,90% a alta de 4,60%, com mediana positiva de 2,80%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia