Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Crédito

Notícia da edição impressa de 11/07/2018. Alterada em 11/07 às 01h00min

Juro diminui para pessoa física e empresas em junho

As taxas de juros em junho caíram em todas as modalidades para pessoas física e jurídica em relação a maio, segundo pesquisa feita pela Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). A queda se deu mesmo depois de o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) ter se decidido pela manutenção da taxa básica de juro da economia (Selic) em 6,50% ao ano no mês passado.

A taxa média de juros ao consumidor pessoa física caiu 0,04 ponto percentual na passagem de maio para junho, de 7,08% para 7,04%. A maior queda foi registrada no cartão de crédito, que recuou 0,09 ponto percentual, passando de uma taxa mensal de 12,02% em maio para uma de 11,93% no mês de junho. O segundo maior recuo registrado, de 0,06 ponto percentual, ocorreu na modalidade cheque especial, que saiu de 12,03% em maio para 11,97% no mês passado.

O juro do comércio saiu de 5,30% em maio para 5,28% em junho, num recuo de 0,02 ponto percentual. O juro do Crédito Direto ao Consumidor (CDC) das instituições financeiras para operações de financiamento de automóveis também recuou 0,02 ponto percentual, de 1,89% ao mês em maio para 1,87% mensais em junho. Já o empréstimo pessoal nas financeiras saiu de 4,02% ao mês em maio para 4% em junho, apresentando um pequeno recuo de 0,02 ponto percentual.

O juro médio sobre empréstimos para empresas caiu 0,08 ponto percentual, de 3,94% em maio para 3,86% em junho. O juro sobre empréstimos para capital de giro caiu 0,10 ponto percentual de maio para junho, de 1,94% para 1,84%. O juro cobrado sobre as operações de crédito envolvendo descontos de duplicatas recuou 0,07 ponto percentual de 2,30% em maio para 2,23% em junho.

O juro sobre a conta garantida, modalidade de Capital de Giro - onde a instituição financeira disponibiliza um limite de crédito, mediante abertura de uma conta-corrente, com garantia de recebíveis ou até mesmo garantia real -, caiu 0,09 ponto percentual, de 7,59% ao mês em junho para 7,50% em junho.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia