Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio Exterior

Notícia da edição impressa de 11/07/2018. Alterada em 11/07 às 01h00min

Balança comercial de petróleo e gás é positiva em US$ 3,2 bilhões até maio

O Brasil acumulou nos primeiros cinco meses de 2018 um saldo positivo de US$ 3,196 bilhões no comércio exterior de petróleo, derivados e gás natural, segundo a Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustível (ANP). O superávit foi obtido principalmente por meio da exportação de petróleo, que teve um saldo de US$ 7,177 bilhões nos primeiros cinco meses do ano. As exportações de petróleo somaram US$ 8,847 bilhões, enquanto as importações somaram US$ 1,670 bilhão.

O gás natural, por sua vez, pesa contra a balança comercial, uma vez que o Brasil apenas importa e não exporta o recurso. Até maio de 2018, foram importados US$ 788 milhões.

No caso dos derivados de petróleo, há exportações e importações, mas o saldo também é negativo em US$ 3,191 bilhões. As importações foram de US$ 5,820 bilhões e as exportações totalizaram US$ 2,628 bilhões.

A balança de petróleo, derivados e gás natural até maio de 2018 já está próxima do resultado de 2017, que teve um saldo positivo de US$ 3,598 bilhões. De janeiro a maio, o saldo médio mensal chegou a US$ 639 milhões. Se esse resultado se mantiver até o fim do ano, o superávit pode passar de US$ 7,6 bilhões, superando 2017 em mais de 100%.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia