Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

reforma trabalhista

09/07/2018 - 19h58min. Alterada em 09/07 às 19h58min

"Sou a favor porque não altera nada", diz novo ministro sobre reforma trabalhista

Folhapress
Escolhido nesta segunda-feira (9) pelo presidente Michel Temer para comandar o Ministério do Trabalho, Caio Vieira de Mello afirmou que é a favor da reforma trabalhista, uma das principais bandeiras do atual governo.
Escolhido nesta segunda-feira (9) pelo presidente Michel Temer para comandar o Ministério do Trabalho, Caio Vieira de Mello afirmou que é a favor da reforma trabalhista, uma das principais bandeiras do atual governo.
"Sou a favor porque não altera nada", respondeu ao ser questionado sobre o tema. De acordo com o novo ministro, que toma posse nesta terça (10), a legislação está em constante desenvolvimento e precisa ser aperfeiçoada. Ele defende ainda a paz social e harmonia entre o trabalhador e o empregador.
"Não há empresa sem empregado e nem empregado sem empresa", disse. Ele contou à reportagem ter sido convidado na noite de domingo (8) por assessores de Temer para uma conversa nesta segunda.
Ele disse ter tido um encontro ameno e técnico com o emedebista. "Podemos fazer alguma cosia para o desenvolvimento da política de emprego", disse o novo ministro sobre sua indicação, que classificou como muito importante por seus 50 anos de carreira.
O nome do novo titular foi anunciado no fim da tarde desta segunda pelo Palácio do Planalto depois de o ex-ministro Helton Yomura ter sido afastado do cargo por determinação da Justiça na última quinta-feira (5).
De acordo com assessores palacianos, Vieira é uma indicação pessoal de Temer.
O novo ministro esteve com o presidente no Planalto na tarde desta segunda acompanhado do presidente da CNI, Robson Andrade. Para o empresário, a escolha do titular é "excelente" por ele ser um nome que representa o equilíbrio entre o interesse do empresariado e dos sindicatos dos trabalhadores.