Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 06/07/2018. Alterada em 06/07 às 15h10min

Abertura de capital da Banrisul Cartões é postergada

Direção do banco tem frisado potencial de negócio e geração de receita do segmento

Direção do banco tem frisado potencial de negócio e geração de receita do segmento


FREDY VIEIRA/JC
O governo do Estado informou que não será realizada neste mês de julho a operação de abertura de capital da Banrisul Cartões, como anunciado recentemente. Em nota, o governo gaúcho informou que a decisão foi tomada nesta quinta-feira após uma nova avaliação das condições de mercado pelas equipes envolvidas. O governo concluiu que o momento não é propício à operação, e, "de forma responsável e transparente, comunica que a operação será retomada tão logo as condições sejam mais favoráveis". A decisão foi comunicada em fato relevante nessa quinta-feira (5). 
Na condição de acionista majoritário do Banrisul, o governo destaca que esta venda de ações não altera em absolutamente nada a posição do Estado no capital do Banrisul, nem retira do Banrisul o controle integral detido sobre a Banrisul Cartões. Isso porque o Banrisul permanecerá titular da totalidade das ações ordinárias com direito a voto da Banrisul Cartões (100% das ações ordinárias).
Apesar da postergação da operação, o governo afirma que segue trabalhando na busca de alternativas que possam colaborar para a melhoria das condições fiscais do Estado. O Regime de Recuperação Fiscal (RRF) permitirá a carência de três anos no pagamento para a União, representando R$ 11 bilhões que não serão repassados no período. A celebração do pré-acordo depende de tramitação na Câmara de Conciliação da AGU para tratar das questões relativas aos limites de gastos com pessoal.
Ao comunicar o adiamento da operação da Banrisul Cartões, o governo também lamentou que não tenha sido votado o PL 133/2018 na sessão da última terça-feira na Assembleia Legislativa. A iniciativa permitiria a venda da totalidade dos créditos do Rio Grande do Sul, a partir do contrato entre o Estado e a General Motors do Brasil, ao abrigo do Fomentar/RS.
As bancadas do PT, PCdoB, Psol e PDT não deram acordo para a votação da matéria. O governo busca na Assembleia o compartilhamento da responsabilidade para uma solução emergencial para minimizar as perdas de receitas, tendo em vista que a queda na arrecadação chegou a R$ 365 milhões no mês passado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia