Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Indústria

06/07/2018 - 01h07min. Alterada em 06/07 às 01h00min

Greve dos caminhoneiros reduziu atividade industrial gaúcha

A greve dos caminhoneiros teve forte impacto no Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) de maio, divulgado nesta quinta-feira pela Fiergs.
A greve dos caminhoneiros teve forte impacto no Índice de Desempenho Industrial (IDI-RS) de maio, divulgado nesta quinta-feira pela Fiergs.
Na comparação com abril, a queda foi de 8,7%, com ajuste sazonal, e, com exceção do emprego ( 0,1%), todos os componentes do IDI recuaram - principalmente o faturamento real (21,3%) e as compras industriais (15,3%). Nas horas trabalhadas na produção e na massa salarial real, as quedas foram menores: 2,2% e 0,4%, respectivamente. A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) também caiu - 2,3 pontos percentuais -, atingindo 78,7%. A retração de maio foi a segunda maior da série iniciada em 2003, atrás somente de dezembro de 2008 (9,3%).
A greve afetou o IDI-RS também na comparação com maio de 2017 e registrou a maior queda desde outubro de 2016 (6,7%). A última vez que o índice chegou a nível tão baixo foi em 1999.
A alta do IDI-RS no acumulado do ano passou de 3,5%, em abril, para 1,3% em maio, influenciada pelas compras industriais (de 9,3% para 5,3%) e pelo faturamento real (de 7,7% para 1,3%). Nos primeiros cinco meses do ano, a UCI (1,2 ponto percentual) e o emprego (0,7%) cresceram, enquanto as horas trabalhadas na produção ficaram estáveis. Somente a massa salarial real caiu: 2,3%.