Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Combustíveis

Notícia da edição impressa de 05/07/2018. Alterada em 05/07 às 01h00min

Subvenção ao diesel tem custo alto e não pode durar, afirma Fazenda

A política de subvenção ao óleo diesel tem custo elevado e não pode ser mantida por muito tempo, disse ontem o chefe da Assessoria Especial do Ministério da Fazenda, Marcos Mendes, durante audiência pública no Congresso Nacional sobre a Medida Provisória (MP) nº 838/2018, que trata da nova política de preços do diesel. A redução de R$ 0,46 no preço do litro, a manutenção do preço por 60 dias e a adoção de reajustes mais espaçados vão custar R$ 9,5 bilhões neste ano.

Parlamentares apresentaram propostas que, por exemplo, estendem a política adotada para o diesel para outros combustíveis, principalmente o gás de cozinha e a gasolina. A MP é relatada pelo deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP), que só deverá apresentar seu parecer dizendo quais emendas foram acatadas no início de agosto.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia