Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

TRABALHO

Notícia da edição impressa de 03/07/2018. Alterada em 03/07 às 01h00min

Uber extingue taxa fixa cobrada de motoristas

Preço mínimo das corridas e tarifa dinâmica não sofreram alterações

Preço mínimo das corridas e tarifa dinâmica não sofreram alterações


/UBER/DIVULGAÇÃO/JC

A empresa de transporte urbano por aplicativo Uber anunciou ontem que mudou seu modelo de negócios no Brasil, extinguindo a taxa fixa de 20% a 25% cobrada dos motoristas sobre o valor de cada corrida e adotando um sistema variável de acordo com cada viagem. De acordo com a Uber, o valor não vai mudar para os usuários, que continuam pagando pelo preço estimado como já funciona.

Por exemplo: se o motorista fizer uma viagem longa, num curto espaço de tempo, ele vai pagar uma taxa maior para a Uber (que pode ser acima dos 25% atuais). E, ao contrário, se ele faz uma viagem de R$ 10,00, mas ficar preso no trânsito por uma hora, o percentual em cima daquela corrida será menor. De acordo com a empresa, a taxa pode cair e ser de somente 1%, dependendo do caso.

Além das taxas, a Uber também cobra um valor fixo de
R$ 0,75 sobre cada corrida. Também são descontados os impostos, que variam de cidade para cidade. Segundo a companhia, o modelo vem para "trazer certeza para os motoristas parceiros", que também vai cobrar dos usuários da plataforma valores de acordo com o tempo e distância efetivamente percorridos em cada viagem e não mais de acordo com uma estimativa prévia, feita pelo aplicativo antes do cliente entrar no carro.

A Uber tem mais de 500 mil motoristas cadastrados em sua plataforma no Brasil. Segundo a empresa, os motoristas reclamavam bastante sobre a taxa fixa de cobrança, pois ela não levava o trânsito em consideração.

A empresa informou ainda que vai manter cobrança de preço mínimo das corridas e, "quando for o caso, o multiplicador de preço dinâmico", que eleva os preços da plataforma quando a procura por determinada viagem, em determinado horário, é muito alta.

O diretor-geral da Uber no Brasil, Guilherme Telles, afirmou que as mudanças fazem parte de "um conjunto maior de iniciativas para aumentar os ganhos de quem escolhe dirigir com nosso aplicativo, como a opção de gorjeta, que lançamos recentemente".

Desde o ano passado, a companhia tem promovido mudanças em seu relacionamento com motoristas, usuários e autoridades públicas. Em janeiro, o presidente executivo da Uber, Dara Khosrowshahi, disse que estava focado no "crescimento responsável", enquanto procurava encerrar uma cultura agressiva e intransigente na busca de resultados, que herdou ao se juntar no ano passado à empresa.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia