Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

TraBALHO

20/06/2018 - 18h00min. Alterada em 20/06 às 18h00min

Saldo líquido de emprego foi positivo em 33.659 vagas em maio, mostra Caged

O Brasil encerrou o mês de maio com a abertura de 33.659 vagas de emprego formal, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira, 20, pelo Ministério do Trabalho. O número é inferior ao registrado no mesmo mês de 2017, quando o saldo foi positivo em 34.254. Mais cedo, o presidente da República, Michel Temer, havia antecipado o número em sua conta do Twitter.
O Brasil encerrou o mês de maio com a abertura de 33.659 vagas de emprego formal, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira, 20, pelo Ministério do Trabalho. O número é inferior ao registrado no mesmo mês de 2017, quando o saldo foi positivo em 34.254. Mais cedo, o presidente da República, Michel Temer, havia antecipado o número em sua conta do Twitter.
Nos cinco primeiros meses do ano, o saldo é positivo em 381.166 vagas e, nos últimos 12 meses, de 284.875 postos.
O resultado mensal foi puxado pelo setor agropecuário, que abriu 29.302 postos, seguido pelo setor de serviços, com a abertura de 18.577 vagas e pela construção civil (+3.181).
Também foram positivos os resultados dos setores de serviço de utilidade pública (+555), indústria extrativa mineral (+230) e administração pública (+197).
Em contrapartida, houve fechamento de vagas no comércio (-11.919 postos) e na indústria da transformação (-6.464 postos).