Porto Alegre, sábado, 14 de março de 2020.
Dia Nacional da Poesia. Dia do Vendedor de Livros.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Conjuntura

19/06/2018 - 08h47min. Alterada em 19/06 às 10h09min

Inflação de Porto Alegre avança e fica em 0,89% na segunda semana de junho, diz FGV

O grupo Habitação foi o destaque de aceleração no período analisado e passou de 0,20% para 0,94%

O grupo Habitação foi o destaque de aceleração no período analisado e passou de 0,20% para 0,94%


TOMAZ SILVA/ABR/JC
A inflação de Porto Alegre medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) acelerou sua taxa de variação na segunda quadrissemana de junho, passando de 0,50% para 0,89%. No geral, o IPC-S avançou em cinco das sete capitais pesquisadas e passou de 0,70% para 1% entre os dois períodos, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira (19).
A inflação de Porto Alegre medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) acelerou sua taxa de variação na segunda quadrissemana de junho, passando de 0,50% para 0,89%. No geral, o IPC-S avançou em cinco das sete capitais pesquisadas e passou de 0,70% para 1% entre os dois períodos, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira (19).
Na capital gaúcha, seis das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram aceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Habitação (0,20% para 0,94%) e Transportes (0,88% para 1,45%). As pressões acima ou igual à variação média foram exercidas pelos grupos: Transportes (1,45%), Alimentação (1,27%), Vestuário (1,07%) e Habitação (0,94%).
Além de Porto Alegre, as cidades que registraram acréscimo nas taxas de variação foram: Brasília (0,90% para 1,18%), Belo Horizonte (0,67% para 1,20%), Rio de Janeiro (0,69% para 1,12%) e São Paulo (0,42% para 0,87%).
Em contrapartida, apenas Salvador registrou decréscimo em sua taxa de variação e passou de 1,40% para 0,94% no período. Em Recife, a taxa foi a mesma observada na quadrissemana anterior, permanecendo em 1,04%. 
A tabela a seguir apresenta as variações percentuais das sete capitais componentes do índice, nesta e na apuração anterior:
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2018/06/19/206x137/1_19_6-8369234.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5b28ec50787ce', 'cd_midia':8369234, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2018/06/19/19_6-8369234.jpg', 'ds_midia': 'Tabela FGV', 'ds_midia_credi': 'FGV/DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Tabela FGV', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '586', 'cd_midia_h': '375', 'align': 'Left'}
Com informações Agência Estado