Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 13 de junho de 2018.
Dia do Turismo / Turista.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Alterada em 13/06 às 13h20min

Governo espera aprovar venda de distribuidoras da Eletrobras na próxima semana

Ministro da Fazenda diz que medida tera impacto na eficiência e contribuirá para crescimento futuro

Ministro da Fazenda diz que medida tera impacto na eficiência e contribuirá para crescimento futuro


ANTONIO CRUZ/AGÊNCIA BRASIL/JC
O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse que o governo tem expectativa de aprovação, na semana que vem, da privatização das distribuidoras da Eletrobras, após apresentação feita na Câmara dos Deputados na segunda-feira (11) à noite.
"Na segunda-feira à noite tivemos reunião com o presidente da Câmara e os principais líderes da casa, eu e o presidente da Eletrobras, para explicar a privatização das seis distribuidoras. Temos expectativa de que seja aprovado na semana que vem e encaminhado para o Senado", afirmou o ministro, durante seu discurso na cerimônia de posse da nova diretoria da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que acontece em São Paulo.
O comentário foi feito no contexto de uma agenda legislativa que o governo tem trabalhado. Guardia comentou que, apesar do momento difícil, particularmente nas últimas três semanas, foram aprovadas a reoneração da folha de pagamento, o cadastro positivo, a duplicata eletrônica e os distratos de imóveis.
"Temos tido interlocução e vemos matérias importantes avançando. Talvez os temas não tenham grande impacto na economia, mas em seu conjunto terão impacto na eficiência e contribuirão para o crescimento potencial no futuro", afirmou o ministro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia