Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de junho de 2018.
Dia dos Namorados.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 12/06 às 20h28min

Maior central sindical da Argentina convoca greve geral para 25 de junho

A Confederação Geral do Trabalho (CGT), maior central sindical da Argentina, convocou greve geral de 24 horas para o dia 25 de junho, devido às políticas de austeridade acertadas pelo governo de Mauricio Macri com o Fundo Monetário Internacional (FMI) na semana passada.
O acordo firmado entre a Argentina e o FMI prevê o empréstimo de US$ 50 bilhões. Com o acerto, o governo Macri modificou suas metas de resultado primário e de inflação.
A meta do déficit primário deste ano passou a ser de 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e de 1,3% do PIB em 2019. Para a inflação, o alvo foi para 17% no próximo ano, 13% em 2020 e 9% em 2021.
De acordo com a CGT, vinculada ao peronismo, os sindicalistas não vão permitir que "o ajuste seja feito novamente por quem tem menos". "Não vamos tolerar que se insistam em ajustar mais a economia social em busca de um equilíbrio fiscal", afirmou a central.
Em dezembro de 2001, foi justamente a oposição às medidas exigidas pelo FMI que levou à crise econômica e social que resultou na queda do então presidente Fernando de la Rúa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia